Universidade Federal do Paraná

Menu

+ UFPR

UFPR recebe premiação por análise crítica que embasou a rejeição ao programa Future-se

Superintendência de Comunicação Social     9 de novembro de 2019 - 16h17

A Universidade Federal do Paraná (UFPR) foi premiada pela minuciosa análise crítica das imperfeições jurídicas e conceituais ao Future-se, proposta do Ministério da Educação (MEC) para captação de recursos para os Institutos Federais de Ensino Superior (IFES). A premiação aconteceu no 2º Congresso Nacional do Conselho Nacional das Fundações de Apoio às Instituições de Ensino (CONFIES), que ocorreu em Brasília. Esta premiação reconhece também a iniciativa da instituição como boa prática de gestão, dando destaque também aos projetos de pesquisas científicas conduzidos pela UFPR.

A vice-reitora da universidade, Graciela Ines Bolzón de Muniz, representou a instituição e recebeu o troféu em reconhecimento ao apoio dado à ciência brasileira. Na quinta-feira (7), ela participou de um debate sobre o Future-se, junto com a reitora da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMF), Sandra Regina Goulart Almeida, em que discutiram a opinião contrária ao projeto do governo sobre as propostas de soluções para a ciência brasileira, com o titular da Secretaria de Educação Superior (SESU) do MEC, Arnaldo Barbosa de Lima Júnior. Estavam também presentes o Secretário Federal de Controle Interno da Controladoria Geral da União (CGU), Antônio Carlos Bezerra Leonel; o deputado Gastão Vieira e o presidente do CONFIES, Fernando Peregrino.

A vice-reitora Graciela Ines Bolzón de Muniz participou de debate sobre o programa Future-se.

O Congresso teve início na última quarta-feira (6) e encerrou na sexta-feira (8). Realizado em Brasília, o evento reúniu reitores e parlamentares com o objetivo de discutir a crise da ciência e o projeto Future-se, anunciado pelo MEC em julho. O CONFIES congrega 96 fundações associadas que movimentam mais de R$ 5 bilhões por ano e gerenciam cerca de 22 mil projetos científicos de mais de 170 universidades públicas e institutos de pesquisa, segundo os últimos dados do MEC.