Universidade Federal do Paraná

Menu

Ciência e Tecnologia

UFPR cria Centro de Pesquisas Aplicadas em Geoinformação

Superintendência de Comunicação Social     21 de março de 2019 - 9h32

Em busca de prover soluções de mapeamento dos ambientes internos e externos da UFPR e de geoinformação em projetos sociais, o recém-criado Centro de Pesquisas Aplicadas em Geoinformação (CEPAG) da Universidade Federal do Paraná apoia atividades de ensino, pesquisa e extensão, e gestão das unidades institucionais. O CEPAG é vinculado à direção do Setor de Ciências da Terra e surgiu por iniciativa de professores do Departamento de Geomática da UFPR (DGEOM).

O novo Centro de Pesquisas deve colaborar para o planejamento estratégico da UFPR, por meio da criação de um sistema de informações geográficas que permitirá o mapeamento de todos os campi. “Será um marco para o Setor, pois o Centro foi criado por demandas da própria instituição e, futuramente, atenderá à comunidade externa”, afirma o professor Alzir Felippe Antunes, diretor do Setor de Ciências da Terra.

O coordenador do Centro, professor Leonardo Ercolin Filho, afirma que o CEPAG está em fase de consolidação e desenvolverá um trabalho de grande relevância para a UFPR e para a sociedade. “A geoinformação está presente na nossa realidade, por isso, é preciso conhecer nosso espaço e localização não só para o dia a dia, mas para situações de risco e monitoramento de desastres”.

Entre as principais contribuições da atuação do CEPAG, o docente aponta a participação dos estudantes. “Eles acompanharão todo o processo dos projetos de Geomática, desde a fase do planejamento até a etapa final. Será uma grande oportunidade para os futuros profissionais que estarão em breve no mercado de trabalho. Além disso, também temos um olhar para a questão social, ultrapassando as barreiras físicas do campus e chegando até as demandas da sociedade”.

Aprovado no conselho setorial, o CEPAG já opera no projeto de atualização da base cartográfica do Campus Centro Politécnico e no projeto de mapeamento denominado UFPR CampusMap. O grupo também presta apoio aos projetos de recuperação da Comunidade 29 de Março, destruída por um incêndio; de planejamento junto ao Sindicato dos Engenheiros do Paraná (SENGE) para a criação de um centro de convivência no assentamento Contestado, na Lapa (PR); de modelagem tridimensional do Teatro Paiol, em Curitiba (PR), e também apoio ao desenvolvimento de estudos geotécnicos na comunidade Vila Nova, no município de Colombo (PR).

A proposta envolve o trabalho de forma colaborativa. “Nossa expectativa é criar multidisciplinaridade com outras áreas. De início, o resultado é bastante animador, pois une várias áreas com um mesmo propósito”, completa Ercolin.

As missões do Centro incluem a produção das bases cartográficas de todos os campi da UFPR; o gerenciamento de bases de dados espaciais; capacitação de alunos na execução de atividades de mapeamento, voltadas para a formação e atuação profissional no mercado de trabalho; promoção de cursos de capacitação relacionados à geoinformação; ampliação de futuros projetos conjuntos entre diferentes departamentos e laboratórios e a captação de recursos por meio de projetos de pesquisa desenvolvidos em parceria.

Também integram a estrutura do CEPAG os professores Luciene Stamato Delazari (DGEOM), Eduardo Vedor de Paula (GDEOG), Gustavo Barbosa Athayde (GDEOL)e Tony Vinicius Moreira Sampaio (GDEOG).

UFPR CampusMap

O UFPR CampusMap, coordenado pela professora Luciene Stamato Delazari, foi o precursor do CEPAG. Desenvolvido no Laboratório de Cartografia e SIG da UFPR, o UFPR CampusMap é um projeto voltado para o mapeamento dos campi da Universidade Federal do Paraná, com a proposta de gerar uma base atualizada de dados sobre a estrutura de cada campus, tanto de seus ambientes externos quanto internos. Dentre suas funcionalidades está a busca e definição de rotas entre pontos de interesse.

Atualmente o projeto é desenvolvido com alunos de graduação em Engenharia Cartográfica e de Agrimensura e Mestrado e Doutorado em Ciências Geodésicas.

Saiba mais sobre o projeto aqui.