Universidade Federal do Paraná

Menu

+ UFPR

UFPR celebra dia das mulheres na ciência com evento “Meninas nas Exatas”

Superintendência de Comunicação Social     11 de fevereiro de 2020 - 12h47

Auditório lotado durante a solenidade de abertura (Foto: Marcos Solivan/Sucom UFPR)

 

Com um auditório lotado de estudantes da educação básica e de membros da comunidade universitária, começou na manhã desta terça-feira o evento “Meninas nas Exatas: por elas para todos!”, promovido a partir de uma articulação de mulheres de diferentes departamentos do Setor de Exatas da Universidade Federal do Paraná (UFPR) para estimular a adesão  pelas disciplinas da área e discutir igualdade de gênero. A data, 11 de fevereiro, foi escolhida por ser o Dia Internacional das Meninas e Mulheres na Ciência. A programação conta com oficinas e atividades até o fim da tarde.

A vice-reitora Graciela Ines Bolzón de Muniz abriu o evento celebrando a importância das mulheres na sociedade e na ciência. Professora e pesquisadora da Engenharia, portanto uma mulher nas exatas, ela reforçou a relevância de se pensar na equidade para a transformação social e celebrou a presença de jovens de diferentes gerações no auditório. “Defendo e acredito no trabalho conjunto entre homens e mulheres, mas para nós há um longo caminho para alcançar o nível de respeito e igualdade almejados”, disse. 

A professora Elizabeth Wegner Karas, coordenadora da Pós-Graduação em Matemática e uma das idealizadoras do evento, falou sobre as principais motivações da organização, que envolvem desde a busca por atrair mulheres para o campo das ciências exatas até destacar o papel da educação de qualidade. Ela homenageou a mãe e a professora que a estimulou a trabalhar com Matemática – também a inspiração do projeto  “Meninas na Matemática: Procuram-se Arletes”, coordenado por ela em cinco escolas da cidade. 

Pesquisadora de gênero, a professora do Departamento de Química, Camila Silveira da Silva abordou dados sobre a disparidade entre homens e mulheres na ciência, questionando o porquê de serem tão poucas mulheres a ocuparem os espaços na área. “A justiça social passa pela equidade de gênero. Há muitas mulheres que nos inspiram e precisamos conhecer suas histórias”, disse. “Nós precisamos da ciência e a ciência precisa das mulheres”.  O diretor do setor de Exatas, Marcos Sfair Sunye, também participou da solenidade de abertura e reforçou a importância das mulheres para a área.

O evento, que ocorre no Setor de Exatas, no Politécnico, será realizado até 17h desta terça (11), com exposições, oficinas, jogos interativos, mesas redondas e experimentos variados – tudo oferecido gratuitamente, de forma simultânea. Apresentação de pesquisas da Universidade, da Química a partir de uma fábrica de perfumes e uma oficina de foguetes estão entre as atividades planejadas para atrair crianças e jovens de todas as faixas etárias.