Universidade Federal do Paraná

Menu

Extensão e Cultura

UFPR assina convênio com Iphan para preservação da memória ferroviária

Superintendência de Comunicação Social     13 de dezembro de 2019 - 8h58

Vice-reitora da UFPR, Graciela Muniz, e Moisés Julierme Stival Soares, representante do Superintendente do Iphan em Curitiba.

A Universidade Federal do Paraná assinou um convênio com o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) nesta quinta-feira (12). Com o termo de cooperação técnica, as instituições se comprometem a preservar a memória ferroviária por meio da criação do Espaço da Memória Ferroviária do Paraná e de Santa Catarina.

O ambiente será nas dependências do Campus Rebouças, no Edifício Teixeira Soares – local onde funcionava a extinta Rede Ferroviária Federal S/A (RFFSA). O documento, com validade de cinco anos, foi assinado pela vice-reitora da UFPR, Graciela Inês Bolzón de Muniz, e pela presidente do Iphan, Katia Santos Bogea.

A iniciativa partiu do Grupo de Pesquisa em Educação Ambiental e Cultura da Sustentabilidade (Gpeacs) da UFPR. A parceria prevê formação, pesquisa e atividades para a comunidade na integração entre as temáticas de Educação Ambiental e Preservação do Patrimônio. Com este objetivo será criado o Centro de Educação Ambiental e Preservação do Patrimônio, que promoverá ações conjuntas de preservação dos bens móveis de valor histórico-cultural oriundos da RFFSA e de educação ambiental.

“É importante destacar a importância do Espaço Memória Ferroviária não só para as duas instituições, mas para toda a comunidade de Curitiba e região metropolitana”, avalia a coordenadora responsável pela execução do convênio e professora da UFPR, Marília Andrade Torales Campos.

Atualmente, quatro estudantes de mestrado e três de doutorado do Programa de Pós-Graduação em Educação participam das atividades. Outras instituições também atuam como parceiras, entre elas o Ministério Público do Estado do Paraná, a Associação Brasileira de Patrimônio Ferroviário, Sanepar, PUC/PR e Universidade Tuiuti.

Ações educativas

Durante a solenidade, também foi lançada a exposição “Caminhos das Ferrovias, Natureza e Cultura”. A mostra é resultado de uma ação conjunta entre a UFPR, a Escola Estadual Luiz Ross, o Iphan e a Associação Brasileira de Preservação Ferroviária.

O projeto envolveu aproximadamente 300 estudantes do ensino médio da escola. Na exposição são apresentados os melhores resultados julgados por um júri de professores da UFPR, UTFPR e Universidade Tuiuti. Os materiais foram produzidos no âmbito do projeto de educação patrimonial e ambiental a respeito do transporte ferroviário no Estado do Paraná.

Da esq. para direita: professora Odissea Boaventura Oliveira, vice-diretora do Setor de Educação; Renata Domingues Sampaio, do Iphan; Moisés Julierme Stival Soares, representante do Superintendente do Iphan em Curitiba; vice-reitora da UFPR, Graziela Muniz, e professora Marília Andrade Torales Campos, coordenadora do convênio.

O projeto envolveu uma série de ações educativas interdisciplinares e transversais que visaram a elaboração de produções imagéticas baseada no estudo iconográfico e na valorização do olhar sensível destes estudantes, imersos na história de sua própria comunidade e na relação entre a natureza, a cultura e os caminhos das ferrovias. Os trabalhos estarão em exposição até o dia 21 de fevereiro.

De acordo com Marília, a exposição da Escola Luiza Ross é um exemplo das ações do convênio assinado entre a universidade e o Iphan. A exposição também faz parte da dissertação de mestrado da estudante Gabriela Loureiro Martins do Programa de Pós-Graduação em Educação da UFPR.