Universidade Federal do Paraná

Menu

Ensino e Educação

Trabalho de Gestão de Altas do HC possibilita que paciente dê continuidade a seu tratamento em casa

Superintendência de Comunicação Social     19 de fevereiro de 2019 - 8h50

Após 6 meses internado no HC, José Carlos Lourenço voltou para sua residência, agora adaptada para sua condição. Foto: Assessoria de Comunicação do HC.

A parceria entre as equipes assistenciais do HC-UFPR e Secretaria Municipal de Saúde de Curitiba, transformou a vida de José Carlos Lourenço. Após 6 meses internado no HC, José Carlos Lourenço voltou para sua residência, agora adaptada para sua condição.

Quando chegou ao Hospital de Clínicas, José apresentava um quadro de insuficiência respiratória, o que criou a necessidade de intubação. Nesse primeiro momento, a suspeita era de que ele estaria desenvolvendo alguma doença motora – o que logo seria confirmado. José foi diagnosticado com ELA (esclerose lateral amiotrófica), doença que resulta em paralisia motora progressiva e irreversível.

A partir do diagnóstico, José recebeu os cuidados específicos direcionados para o tratamento da doença. As fisioterapeutas Adriana de Oliveira e Neliana de Mello, presentes em todo esse processo, comentam que “a fisioterapia no paciente com ELA é intensiva e diária. O apoio da família e da equipe hospitalar é muito importante nesse momento”. Em outubro de 2018, José já estava internado há dois meses, utilizando respirador, que viria a ser presente em seu tratamento continuamente. Foi quando a gestão de altas do HC, por meio da Enfermeira de ligação Valéria Gallo, começou uma mobilização para proporcionar o regresso do paciente para casa, buscando oferecer a José e sua esposa mais conforto e retorno à convivência familiar. Para isso, o paciente precisa ter um respirador em casa e cuidadores que saibam como operá-lo.

A equipe entrou em contato com a família de José para tomar todas as providências necessárias e transformar a residência do paciente no ambiente mais confortável e adaptado possível, no qual ele fosse capaz de seguir com seu tratamento. Essa ação foi realizada graças à parceria com o Serviço de Oxigenoterapia da Secretaria Municipal de Saúde de Curitiba e com a equipe do          SAD-VM (Serviço de Atenção Domiciliar de Pacientes com Ventilação Mecânica).

Finalmente, depois de 6 meses internado no HC, no dia 5 de fevereiro de 2019, o paciente pôde voltar para sua casa, agora adaptada para suas necessidades. Outros pacientes do HC, com o mesmo quadro clínico de José, também estão sendo beneficiados pela iniciativa.

O esforço conjunto das equipes assistenciais do HC-UFPR e Secretaria Municipal de Saúde de Curitiba, com foco na qualidade da assistência e humanização da saúde pública, demonstram o impacto e importância do tratamento humanizado para a qualidade de vida dos pacientes.

A VIDA COM ‘ELA’

A esclerose lateral amiotrófica é uma doença rara, com menos de 15 mil casos diagnosticados anualmente no Brasil. Na grande maioria das ocorrências a causa da doença é desconhecida, mas em aproximadamente 10% de suas manifestações o fator genético é o responsável. Embora a ELA não tenha cura, o tratamento pode facilitar a vida do paciente e torná-la muito mais confortável. A fisioterapia é a principal forma de retardar os efeitos da doença. Na maioria dos casos, a esclerose lateral amiotrófica se manifesta em pessoas com mais de 50 anos.


Outras notícias

UFPR nas Redes Sociais

UFPR no Facebook UFPR no Twitter UFPR no Flickr RSS UFPR UFPR no Youtube UFPR no Instagram
Universidade Federal do Paraná
Rua XV de Novembro, 1299 | CEP 80.060-000 | Centro | Curitiba | PR | Brasil | Fone: +55(41) 3360-5000
UFPR no Facebook UFPR no Twitter UFPR no Youtube
Setor de Universidade Federal do Paraná
Rua XV de Novembro, 1299
CEP 80.060-000 - Centro
Reitoria da UFPR - Curitiba - PR - Brasil
Fone: +55(41) 3360-5000

Imagem logomarca da UFPR

©2019 - Universidade Federal do Paraná

Desenvolvido em Software Livre e hospedado pelo Centro de Computação Eletrônica da UFPR