Universidade Federal do Paraná

Menu

Ciência e Tecnologia

Rede de pesquisa e educação automotiva entre Brasil e Alemanha publica ações com conhecimento sobre mobilidade transferido para sociedade

Superintendência de Comunicação Social     5 de fevereiro de 2019 - 14h47

“Mobilidade. Transferência. Sociedade” é o título da segunda publicação da Rede Aplicada de Pesquisa e Educação Automotiva (Applied NetWork on Automotive Research and Education – Aware). A chamada da edição 2017-2019 remete ao conhecimento transferido para a sociedade e a indústria automotiva a partir de pesquisas e ações realizadas pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e a universidade alemã Technische Hochschule Ingolstadt (THI), que integram a Rede Aware. Os artigos são escritos pelos membros e parceiros da Aware, da ciência, política e indústria.

Clique aqui e acesse a segunda publicação da Rede Aware. Imagem: Divulgação

Clique aqui e acesse a segunda publicação da Rede Aware. Imagem: Divulgação

De acordo com a diretora operacional Anne-Sophie Lohmeier, da THI, que representa a Aware na Alemanha e no mundo, a publicação abre caminho para uma nova abordagem: a avaliação e desenvolvimento de atividades de educação não apenas do ponto de vista da universidade, mas também da perspectiva de uma relevância social mais ampla.

O livro compara o sistema alemão e o brasileiro em áreas como empreendedorismo, inovação organizacional, internacionalização, atividades universitárias e formatos de eventos, permitindo participação da sociedade. “Na verdade, é também uma revisão de todas as atividades e projetos cruciais que ocorreram durante o segundo período de financiamento da Rede Aware, de 2017 até o final de 2018”, acrescenta Anne-Sophie.

A publicação é financiada pelo Ministério Federal para Educação e Pesquisa da Alemanha (BMBF) e o Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico (DAAD).

Da academia para a indústria

A Aware é uma rede aplicada de pesquisa e educação automotiva entre universidades, parceiros da indústria e outras instituições públicas no campo de engenharia e gerenciamento automotivo. O principal objetivo é fomentar a cooperação internacional no ensino, pesquisa e transferência de conhecimento, experiência e prática. “Consideramo-nos altamente orientados para a aplicação e a tecnologia, com forte potencial de transferência entre a academia e a indústria”, diz a diretora operacional da Rede Aware, Anne-Sophie Lohmeier, da universidade alemã THI.

A Rede foi criada em 2013, quando obteve o financiamento do Ministério Federal para Educação e Pesquisa da Alemanha (BMBF) e do Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico (DAAD). O Brasil foi o principal parceiro desde o início das atividades.

Participantes de evento internacional de Engenharia e Gestão Automotiva durante visita técnica à fábrica da Volvo, na Cidade Industrial de Curitiba, em novembro do ano passado. Foto: Gustavo Romero de Souza Santos/Divulgação

Participantes de evento internacional de Engenharia e Gestão Automotiva durante visita técnica à fábrica da Volvo, na Cidade Industrial de Curitiba, em novembro do ano passado. Foto: Gustavo Romero de Souza Santos/Divulgação

Desde 2013, mais de 240 brasileiros foram para a THI, na Alemanha, e mais de 230 alemães visitaram a UFPR ou a UFSC para realizar projetos conjuntos. Entre eles, graduados, mestres e doutorandos, pesquisadores, professores e funcionários administrativos.

Na UFPR, os professores e estudantes envolvidos são vinculados principalmente aos departamentos de Engenharia Elétrica e Engenharia Mecânica. Em 2018 o curso de Engenharia de Produção também passou a integrar o projeto. A coordenação geral da Rede Aware na UFPR é feita pelo professor Ewaldo Mehl, do Departamento de Engenharia Elétrica.

Empresas com sede na Alemanha também integram a Rede, como Audi, Continental, Sparks, Arculus, Pixida e Airbus, que sugeriram temas para as pesquisas. E, no Brasil, passaram a participar agentes públicos de pesquisa e certificação, como Lactec e Fundação Certi, e instituições ligadas aos setores industrial e comercial, como Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) e Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), tanto do Paraná quanto de Santa Catarina.

A escolha do Brasil e da UFPR

Anne-Sophie explica que a universidade alemã THI identificou um potencial na cooperação com o Brasil. “Soluções tradicionais de engenharia, digitalização e soluções de mobilidade inteligente, economia de compartilhamento e soluções de cidades inteligentes são apenas alguns dos vários tópicos de interesse conjuntos”, diz. Ela acrescenta que a UFPR e a UFSC foram selecionadas como os principais parceiros acadêmicos. “Já estávamos realizando alguns projetos conjuntos e eles [UFPR e UFSC] nos convenceram de sua alta qualidade no campo da engenharia”, afirma.

Difusão do conhecimento

A Rede Aware possui seis grupos de pesquisa binacionais em áreas como mobilidade elétrica e sistemas de segurança de baterias, segurança passiva do veículo, gestão de varejo e responsabilidade social corporativa, entre outras. Em 2018 foram publicados oito artigos; orientados e publicados 30 projetos de graduação, mestrado e doutorado; apresentados resultados de pesquisa em 16 conferências internacionais.

Estudantes da UFPR, UFSC e da universidade alemã THI no Fórum eMobility, realizado em Ingolstdat, na Alemanha, em junho do ano passado. Foto: Ewaldo Luiz de Mattos Mehl/Divulgação

Estudantes da UFPR, UFSC e da universidade alemã THI no Fórum eMobility, realizado em Ingolstdat, na Alemanha, em junho do ano passado. Foto: Ewaldo Luiz de Mattos Mehl/Divulgação

Entre os resultados e ações implementadas desde o início de sua atuação, em 2013, estão:

* Programa de mestrado com duplo diploma (UFPR e THI). Alunos de mestrado em Engenharia Elétrica ou Engenharia Mecânica da UFPR fazem parte do curso da Alemanha e podem obter o diploma de mestre em Engenharia Automotiva Internacional fornecido pela THI, além do diploma de mestrado da UFPR. O programa é coordenado na UFPR pelo professor Evelio Martín García Fernández, do Departamento de Engenharia Elétrica, e pela professora Maria José Jerônimo de Santana Ponte, do Departamento de Engenharia Mecânica.

* O Fórum eMobility como um evento para networking e intercâmbio técnico em tecnologias de mobilidade foi estabelecido uma vez por ano na Alemanha ou no Brasil.

* Um programa de intercâmbio para palestrantes convidados com recursos de financiamento específicos.

* Cooperação entre academia e indústria no Paraná e em Santa Catarina por meio de pesquisa conjunta e programas de estágio.

* Uma escola de verão automotiva anual com palestras, projetos de laboratório e atividades na Alemanha e no Brasil.

Além disso, a Aware foi convidada para conferências internacionais de ensino superior na Europa e na América do Sul como rede de melhores práticas na cooperação de ensino superior.

Expansão em 2019

Um novo projeto será implementado em 2019 pela Rede Aware: o AIM (Automotivo. Inovação. Momento), coordenado na UFPR pela professora Karin Graf, do Departamento de Engenharia Mecânica. O foco é a transferência para o Brasil de módulos de ensino para aplicação no estabelecimento de programas de estudo com a indústria. Um novo programa de mestrado em Engenharia Automotiva ainda deve ser criado no ano que vem entre a UFPR, a THI e o Senai Paraná. Além disso, a Aware está em processo de expansão gradual para outros países latino-americanos, como Argentina, Colômbia e México.

Até o ano passado, a Rede se concentrava em pesquisa e educação. Nos próximos anos, a intenção é intercambiar também as melhores práticas e conhecimentos em administração universitária e os chamados projetos de Terceira Missão, que tratam da sociedade em geral.

Segundo Anne-Sophie, da universidade alemã THI, enquanto a Terceira Missão é relativamente nova para as universidades alemãs, as instituições educacionais latino-americanas têm enfatizado sua responsabilidade social desde seus primórdios. “É por isso que a Terceira Missão foi finalmente incluída na Agenda 2019 da Aware, constituindo outro efeito de transbordamento positivo entre o Brasil e a Alemanha”, diz.

Por Chirlei Kohls
Parceria Superintendência de Comunicação e Marketing (Sucom) e Agência Escola de Comunicação Pública e Divulgação Científica e Cultural da UFPR