Universidade Federal do Paraná

Menu

Ciência e Tecnologia

Professor de Medicina Veterinária publica livro sobre novas tecnologias para controle de parasitos de bovinos

Simone Meirelles     4 de dezembro de 2018 - 10h31

Livro está disponível em formato impresso ou e-book (foto divulgação)

O professor do Departamento de Medicina Veterinária da UFPR Marcelo Beltrão Molento acaba de lançar o livro “Novel Approaches to The Control of Helminth Parasites of Livestock” (Novas Tecnologias Para o Controle dos Helmintos Parasitos de Bovinos). O evento de lançamento ocorreu no auditório do SENAC em Curitiba, com uma palestra proferida pelo professor, seguida de uma rodada de discussão. O evento foi organizado pelo Sindicato dos Médicos Veterinários do Paraná, SINDIVET e pela editora APPRIS. O livro já está disponível para venda em livrarias no formato impresso e em e-Book.

A publicação desta obra tem o objetivo de aproximar profissionais que atuam na pecuária com novas técnicas de controle parasitário. O livro foi escrito 100% em inglês para ampliar horizontes de ação e para atender toda a demanda dos demais autores. São 14 capítulos, com mais de 20 autores de 13 países diferentes. Os capítulos foram divididos com autores renomados e trazem as mais recentes novidades científicas, sendo que algumas destas técnicas já estão sendo aplicadas no Brasil e no mundo, com excelente repercussão. O professor Molento e e seu coeditor, Dr. Jim Miller da Universidade de Louisiana, querem ainda que a leitura estimule o uso de estratégias que mantenham a saúde animal, criando um ambiente que equilibre, controle parasitário e a sustentabilidade do ambiente, em propriedades modernas e mais resilientes. O tema é bastante discutido em disciplinas com a Global Health, coordenada por Molento na UFPR.

Na obra está descrita como a ocorrência de infecções por endoparasitos pode comprometer a qualidade de vida dos animais de fazenda. Tradicionalmente, o controle de tais enfermidades é realizado utilizando medicamentos antiparasitários em todos os animais do rebanho. Entretanto, esta orientação técnica está ultrapassada, principalmente após a determinação de resistência dos parasitos contra múltiplos produtos. Assim, novas informações devem chegar aos técnicos, para que tenham na mão técnicas que priorizem o estado sanitário do rebanho, com informações atuais e com base científica.

O desenvolvimento de produtos antiparasitários é lento e caro e novos lançamentos são cada vez mais raros, explica Molento. Desta forma, jovens profissionais devem ser alertados sobre a difícil situação da resistência e serem instruídos e incentivados a utilizar técnicas que promovam a melhoria da qualidade devida dos animais e a sustentabilidade da cadeia produtiva.