Universidade Federal do Paraná

Menu

Ciência e Tecnologia

Pesquisas da UFPR podem resultar em novas vacinas e kits diagnósticos para doenças

Superintendência de Comunicação Social     12 de agosto de 2019 - 15h26

A Universidade Federal do Paraná (UFPR) teve três projetos aprovados no edital de apoio à infraestrutura de pesquisa em áreas temáticas do Fundo de Infraestrutura (CT-Infra), da Financiadora de Inovação e Pesquisa (Finep), em dezembro do ano passado. Ao todo, o edital contempla cinco áreas: Biotecnologia, Ciências Biomédicas, Engenharias, Ciências Sociais e Nanotecnologia. Confira uma série de matérias sobre os projetos submetidos pela Universidade.

O projeto da área de Biotecnologia da UFPR receberá recursos destinados à manutenção da infraestrutura já existente e para a aquisição de três novos equipamentos para os laboratórios, que atendem a 17 programas de pós-graduação, além de estudantes e pesquisadores de outros países. A proposta é desenvolver uma plataforma integrada para obtenção em larga escala de sequências de DNA e moléculas bioativas a partir da aprovação em chamada pública do Fundo de Infraestrutura (CT-Infra) da Financiadora de Inovação e Pesquisa (Finep). As pesquisas podem resultar no desenvolvimento de novas vacinas e kits diagnósticos para diversas doenças.

Algumas das áreas atendidas pela aquisição dos novos equipamentos envolvem pesquisas relacionadas a doenças hereditárias raras, câncer, neurobiologia, células-tronco, entre outras. Os principais setores industriais impactados pelos estudos são a área agrícola e a indústria farmacêutica.

Algumas das áreas atendidas no projeto envolvem pesquisas relacionadas a doenças hereditárias raras, câncer, neurobiologia, células-tronco, entre outras. Foto: Samira Chami Neves, 2016/Sucom-UFPR

De acordo com o projeto desenvolvido por pesquisadores da UFPR, os novos equipamentos geram impacto na área econômica, pois permitirão pesquisas realizadas com insumos nacionais, garantindo a transferência de tecnologia para o setor privado, bem como a geração de novas patentes e a redução de gastos com a importação de matéria-prima. Dados de 2017 do Instituto Nacional de Propriedade Industrial (Inpi) mostram que a UFPR realiza, em média, 49 depósitos de patente por ano.

Os três novos equipamentos que devem ser adquiridos permitem um aumento na taxa de descobertas de novos genes e de suas funções em diferentes organismos, a transferência de genes de interesse em células para sua expressão e a separação de produtos gênicos em larga escala.

Os 17 programas de pós-graduação da UFPR participantes do projeto são Bioprocessos e Biotecnologia; Bioquímica; Biologia Celular e Molecular; Farmacologia; Genética; Microbiologia, Parasitologia e Patologia; Fisiologia; Ciências Farmacêuticas; Química; Engenharia Química; Botânica; Bioinformática; Zoologia; Ecologia e Conservação; Entomologia; Medicina Interna; e Veterinária.

Por Vinicius Fin Valginhak
Sob supervisão de Chirlei Kohls
Parceria Superintendência de Comunicação e Marketing (Sucom) e Agência Escola de Comunicação Pública e Divulgação Científica e Cultural da UFPR

Leia outras matérias da série:

UFPR tem cinco projetos aprovados em editais nacionais sobre pesquisas com participação de multiusuários e manutenção de equipamentos

Pesquisadores da UFPR propõem soluções para mobilidade urbana, direito e saúde com desenvolvimento de cidades inteligentes

Sustentabilidade: Instituto da UFPR produz combustíveis com reaproveitamento de resíduos agroindustriais