Universidade Federal do Paraná

Menu

Ciência e Tecnologia

Pesquisadores da Baía de Paranaguá promovem workshop de integração e apresentação de resultados

Superintendência de Comunicação Social     2 de setembro de 2019 - 10h49

Pesquisadores dos projetos sobre o Complexo Estuarino de Paranaguá (CEP) reuniram-se, entre os dias 27 a 29 de agosto, para compartilhar resultados preliminares dos estudos e intensificar o processo de integração entre eles. Os três projetos sobre a Baía de Paranaguá, no litoral paranaense, fazem parte dos oito selecionados pela Chamada Pública MCTIC /CNPq – Nº 21/2017 – Pesquisa e Desenvolvimento em Ações Integradas e Sustentáveis nas Baías do Brasil. A Universidade Federal do Paraná (UFPR) tem pesquisadores envolvidos nos três estudos.

Compõem o trio Baías CEP os projetos: Resiliência Socioecológica e Sustentabilidade do Complexo Estuarino de Paranaguá (RESICEP); Vulnerabilidades e Respostas das Populações Locais às Ameaças Socioeconômicas e Naturais na Baía de Paranaguá (MADECEP); e Panorama Histórico e Perspectivas Futuras Frente a Ocorrência de Estressores Químicos Presentes no Complexo Estuarino de Paranaguá (EQCEP). As pesquisas têm o objetivo de compreender necessidades e fragilidades do CEP e, assim, interferir positivamente nelas, por meio de estudos multidisciplinares e balizados pelos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Organização das Nações Unidas (ONU).

O I Workshop de Integração dos Projetos sobre o CEP reuniu no Campus Pontal do Paraná, além dos coordenadores dos três projetos – que apresentaram resultados parciais após 22 meses de desenvolvimento –, representantes do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), analista ambiental do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), Secretaria de Desenvolvimento Sustentável e Turismo do Estado do Paraná e cerca de 35 pesquisadores, graduandos e pós-graduandos diretamente envolvidos nos projetos e interessados.

Além dos coordenadores Paulo Lana (RESICEP), Rodolfo Angulo (MADECEP) e Michel Mahíques (EQCEP), participaram do Workshop a representante do CNPq, Margareth Alves Carvalho, a representante do MCTIC, Andrea Kaled-Cruz, o analista ambiental do ICMBio, Cesar Augusto Horie, e a representantes da SEMA -PR, Fabiana Campos. Foto: Divulgação.

O encontro foi marcado pelas apresentações individuais dos diversos representantes e dos resultados parciais por discentes e sessões plenárias. Além disso, três grupos de trabalho (GT) se debruçaram em temáticas consideradas prioritárias ao Baías CEP: plataforma e compartilhamento de dados; potencialidades de integração; comunicação e divulgação científica.

Relevância

De acordo com Luciene Lima – uma das responsáveis pelo eixo “Cadeias Produtivas” do projeto RESICEP e parceira do MADECEP na área de educação – pesquisadores do Campus Pontal do Paraná da UFPR, da Universidade de São Paulo (USP), da Universidade Tecnológica do Paraná (UTFPR) e da Universidade Estadual do Paraná (Unespar) estão efetivamente integrados e direcionando sua expertise para a construção coletiva de produtos acerca de objetivos unificados de trabalho no CEP. “A forte integração da pesquisa tem extrapolado para os pilares do ensino e da extensão, à medida que o interesse e a adesão crescente de discentes via voluntariado acadêmico e também da participação de atores comunitários em vários eixos dos projetos cresce exponencialmente”.

A pesquisadora afirma que, além de gerar resultados científicos inéditos e publicações de impacto, o trio Baías CEP prevê a geração de produtos técnicos e de aplicabilidade imediata e direta junto às comunidades. “No eixo Cadeias Produtivas do projeto RESICEP, por exemplo, protocolos e técnicas de captação de sementes de ostras e saúde dos cultivos já são devolutivas aos parceiros das comunidades ostreicultoras”. Outro produto, gerado via componente educacional do MADECEP, é a estruturação do curso de especialização Educação Marinho-Costeira, em parceria com a Secretaria Estadual do Paraná, que é dedicado especialmente a professores de dez escolas estaduais das ilhas do Paraná e cuja aula inaugural ocorrerá na próxima sexta-feira (6).