Universidade Federal do Paraná

Menu

Extensão e Cultura

Movimento promove divulgação científica nas redes sociais

Superintendência de Comunicação Social     26 de junho de 2020 - 13h50

Três pesquisadoras curitibanas buscam estabelecer um elo entre a sociedade e os cientistas em diversos canais de divulgação, através do “Movimento Curitiba pela Ciência”.

A iniciativa é de Jessica Ilkiw, doutoranda em Fisiologia da UFPR, Mirelly Lacerda, estudante de Engenharia Ambiental da UFPR e Luciana Müller, mestre em engenharia civil da UTFPR. Elas notaram que, como os cientistas passam a maior parte do tempo dentro dos laboratórios ou em sala de aula, muitas vezes têm dificuldade em falar sobre os seus projetos, dificultando a interação com a comunidade em geral. Além disso, com o isolamento social, veio a necessidade de falar de ciência de forma segura para a população, sem sair de casa.

Ciência para Você

O movimento está presente no Facebook, Instagram e Youtube. Uma das principais iniciativas é a Websérie “Ciência para Você”. A cada semana, pesquisadores de diversas áreas da ciência divulgam suas pesquisas e falam sobre os desafios da carreira acadêmica.

Frederick Van Amstel, professor de design de serviços públicos, destaca em sua entrevista que as universidades e a ciência são importantes para o desenvolvimento do nosso país. “Precisamos desenvolver a tecnologia nacional, não apenas consumí-la. Por isso, é fundamental defender e valorizar a ciência”, disse o professor. Já Luana Caroline Kmita, fisioterapeuta intensivista, enfatiza que a maior dificuldade de ser pesquisador no Brasil é a falta de recursos e a desvalorização do profissional. “Precisamos de mais incentivo, pois a maioria das pesquisas científicas são realizadas dentro das universidades. As etapas dos estudos têm que ser respeitadas para a segurança da população, a ciência tem seu tempo e ela não funciona sem recursos”, relata a entrevistada.

Nas redes sociais, a equipe publica conteúdos relacionados aos vídeos e outras curiosidades sobre os temas apresentados. Existe ainda a preocupação de trazer assuntos relacionados à Covid-19, pois, na visão das criadoras do movimento, falar sobre a contribuição da ciência na pandemia e a aplicação desses trabalhos é fundamental.

Experiência e aprendizado

A divulgação científica não é novidade na trajetória da equipe. Jessica conta que seu interesse em falar sobre o assunto vem desde o ingresso na universidade, na organização de eventos, como o Curso de Inverno da Fisiologia e a Semana do Cérebro da UFPR. Com o impedimento momentâneo dos eventos presenciais, os canais criados pelo movimento são uma fonte de notícias seguras e verídicas. “Muitas pessoas acabam caindo em fake news. Por isso, é importante comunicar notícias verdadeiras e confiáveis”, resume.

A doutoranda destaca ainda que nesse período de quarentena o projeto tem dupla função: pois além de passar o conhecimento, ela também aprende com novos conhecimentos. Por isso, ela reforça que qualquer pessoa pode entrar em contato com a equipe para tirar dúvidas, enviar notícias verídicas e divulgar pesquisas.

A expectativa é que o movimento cresça e se estenda para que outros estudantes participem. “Queremos que seja um projeto de extensão no futuro, para que esse envolvimento entre as universidades continue o trabalho de levar a ciência a todos. Afinal são temas que afetam diretamente a população e trazem melhorias para a sociedade”, reforça Jessica.

Por Marjorie Kauane Teixeira, com orientação de João Cubas


UFPR nas Redes Sociais

UFPR no Facebook UFPR no Twitter UFPR no Flickr RSS UFPR UFPR no Youtube UFPR no Instagram
Universidade Federal do Paraná
Rua XV de Novembro, 1299 | CEP 80.060-000 | Centro | Curitiba | PR | Brasil | Fone: +55(41) 3360-5000
UFPR no Facebook UFPR no Twitter UFPR no Youtube
Setor de Universidade Federal do Paraná
Rua XV de Novembro, 1299
CEP 80.060-000 - Centro
Reitoria da UFPR - Curitiba - PR - Brasil
Fone: +55(41) 3360-5000

Imagem logomarca da UFPR

©2020 - Universidade Federal do Paraná

Desenvolvido em Software Livre e hospedado pela AGTIC - Agência de Tecnologia da Informação e Comunicação da UFPR