Universidade Federal do Paraná

Menu

Ensino e Educação

Mais de 51 mil candidatos comparecem à primeira fase do Vestibular 2015/2016

Jaqueline Carrara     8 de novembro de 2015 - 17h54

Índice de ausentes não saiu da média registrada pela Universidade. FOTO: Marcos Solivan

Índice de ausentes não saiu da média registrada pela Universidade. FOTO: Marcos Solivan

O maior vestibular da história da UFPR teve início neste domingo (08). As provas da primeira fase estão sendo realizadas em 35 locais nas cidades de Curitiba, Palotina, Matinhos, Toledo e Jandaia do Sul. Ao todo, 51.785 candidatos compareceram dentro do horário previsto em edital e respondem às 80 questões objetivas até as 19h de hoje.

O índice de abstenção de 12,1% manteve-se na média registrada pelo Núcleo de Concursos da Universidade. Com a oferta de 4866 vagas em 119 cursos, a UFPR fica entre as instituições mais disputadas pelos estudantes brasileiros. E, nesta edição, os vestibulandos ganharam ainda mais oportunidades para entrar na Federal.

A cidade de Toledo (a cerca de 500 quilômetros da capital) está abrigando o primeiro vestibular da Universidade no município. A partir de 2016, a região terá a primeira turma de medicina da UFPR fora de Curitiba. O curso já é o segundo mais concorrido do processo seletivo, com 2303 inscritos para 60 vagas.

Alguns alunos da UFPR foram aos locais de prova para interagir com possíveis calouros. FOTO: Marcos Solivan

Alguns alunos da UFPR foram aos locais de prova para interagir com os possíveis calouros. FOTO: Marcos Solivan

NOVIDADES

Além do curso de Medicina em Toledo, o Vestibular 2015/2016 também se difere dos anteriores com relação ao sistema de cotas. Seguindo as determinações do Governo Federal (pela Lei nº 12.711/2012), metade das vagas ofertadas pela instituição será destinada exclusivamente a candidatos que tenham cursado todo o ensino médio na rede pública – dentro desses 50%, estão ainda as vagas reservadas a vestibulandos autodeclarados pretos, pardos e indígenas.

As políticas institucionais de respeito às diversidades sociais e culturais da comunidade acadêmica também trouxeram novidades ao vestibular deste ano. Pela primeira vez, a utilização do nome social (aquele pelo qual a pessoa se autoidentifica) passou a ser possível desde o ato de inscrição no processo seletivo.

Nas matrículas, a identidade de gênero já era reconhecida pela Universidade; com a Resolução nº 29/15, aprovada pelo Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão da UFPR em julho deste ano, o nome social aparece nas carteiras, no caderno de prova e em toda a documentação relativa ao vestibular, incluindo o tratamento social no momento da prova. O Núcleo de Concursos ficou responsável por fazer a vinculação entre a identificação civil e o nome social em seus registros internos, com base em documentação complementar apresentada pelos vestibulandos.

Reitor Zaki Akel esteve no Centro Politécnico e passou em algumas salas para desejar boas provas. FOTO: Marcos Solivan

Reitor Zaki Akel esteve no Centro Politécnico e passou em algumas salas para desejar boas provas. FOTO: Marcos Solivan

“Queremos que o nosso vestibular próprio seja referência também no respeito aos candidatos. Mesmo com um processo seletivo de proporções históricas, abrimos sempre espaço a inovações e ficamos orgulhosos em ver que somos capazes, cada vez mais, de oferecer igualdade de oportunidades aos estudantes que tanto sonham com uma vaga na Federal do Paraná”, afirmou o reitor da UFPR, Zaki Akel Sobrinho, durante entrevista coletiva cedida à imprensa neste domingo. Antes do momento com os jornalistas, o reitor ainda passou por algumas salas do Centro Politécnico da Universidade, buscando tranquilizar os candidatos e desejando boas provas.

O gabarito provisório desta primeira fase será divulgado ainda hoje, após as 21h, no site do Núcleo de Concursos.

Leia também:

UFPR registra novo recorde de inscritos no vestibular

Número de isentos de taxa no Vestibular UFPR quase quadruplica

Conselho aprova o uso do nome social de acordo com identidade de gênero na UFPR