Universidade Federal do Paraná

Menu

+ UFPR

Campanha Março das Mulheres na UFPR colocará questões de gênero em destaque no mês; confira a programação

Superintendência de Comunicação Social     8 de março de 2019 - 14h42

Criada para sensibilizar e proporcionar debate sobre temas importantes para as mulheres, a campanha Março das Mulheres na UFPR foi lançada nesta sexta-feira (8) no auditório do Campus Juvevê, em Curitiba. A campanha inclui uma programação especial para todo o mês, com mesas redondas e eventos culturais, na capital e em Matinhos (Setor Litoral). A organização é da Pró-Reitoria de Extensão e Cultura (Proec), da Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis (Prae) e da Superintendência de Inclusão, Políticas Afirmativas e Diversidade (Sipad) — a programação pode ser conferida mais abaixo.

Segundo a vice-reitoria da UFPR, Graciela Bolzon de Muniz, a campanha vai ao encontro da necessidade social de promover o questionamento sobre a desigualdade de gênero, mas também tem a intenção de “celebrar a vida de mulheres comuns” que têm influenciado no complexo caminho por igualdade. Graciela lembrou, por exemplo, que, ao mesmo tempo em que as estatísticas que refletem a violência e a discriminação contra a mulher no Brasil continuam apresentando um quadro grave, as mulheres têm aberto espaço em frentes importantes, como educação, trabalho, ciência e empreendedorismo.

A mesa de abertura: Herz Wendel de Camargo, da Editora da UFPR, representando a Proec; a vice-reitora Graciela de Muniz; Maria Rita César, da Prae; e Paulo Vinicius Baptista, da Sipad. Fotos: Marcos Solivan/Sucom-UFPR

Ela citou, por exemplo, a produção científica promovida por mulheres (que assinam metade de artigos científicos do País) e a presença delas na graduação (hoje, a maioria dos alunos são mulheres). “Quando cursei Engenharia Florestal, a realidade era bem diferente”, contou. Graciela reconheceu, porém, que “é longo o caminho por respeito e igualdade”, a começar na participação política e em altos cargos. “Se as mulheres têm capacitação, por que não são eleitas? E quando são eleitas, por que não são ouvidas?”, questionou.

Pesquisadora de temas sobre gênero, a pró-reitora de Assuntos Estudantis, Maria Rita de Assis César, também fez uma comparação bem-humorada com base na sua experiência universitária. Segundo ela, em 1999, quando ingressou na docência da UFPR, apenas quatro professoras se diziam “abertamente feministas”: a soma inclui a própria Maria Rita, Ana Paula Vosne Martins (História), Miriam Adelman (Ciências Sociais) e Celsi Silvestrin (Comunicação). “Hoje assumir-se feminista faz parte da subjetividade das meninas. Crescemos na universidade e no Brasil”, avaliou.

Acolhimento

Outro destaque do lançamento da campanha foi a divulgação do Acolhe UFPR, um núcleo de acolhimento a pessoas da comunidade acadêmica que venham a ser vítimas de discriminação, assédio e violência, que será administrado pela Sipad. Localizado no Prédio Histórico, onde funciona a superintendência, o núcleo oferecerá atendimento por psicólogos e assistentes sociais.

Lançamento da programação contou com público formado por estudantes de graduação e pós-graduação do Campus Cabral

Segundo a assistente social Silvia Amorim Lima, integrante da equipe, a ideia é que seja oferecida escuta qualificada, bem como direcionamento e monitoramento das denúncias aos órgãos competentes. “Nossa intenção é  solução, mas sempre ouvindo o que a vítima quer”, explicou.

A Sipad também pretende abrir, em breve, o prazo de inscrições para o curso de aperfeiçoamento que permitirá a formação de servidores (técnicos e docentes) da UFPR para atuação na futura rede de acolhimento a mulheres e a membros da comunidade LGBT.

Depois de formados, os servidores se tornam referencial nos setores, recebendo questões e demandas desses grupos sociais. Segundo o superintendente Paulo Vinícius Baptista, a ideia é inspirada em uma iniciativa da Universidade de Nebraska, nos Estados Unidos.

O curso terá carga horária de 64 horas, das quais 32 presenciais. As primeiras turmas serão abertas para servidores de Curitiba e Matinhos, mas a intenção é que a capacitação seja feita de forma contínua.

A professora Nicole Kollross, do Decom, fala da sobre como profissionais de mídia podem contribuir para o combate à desigualdade de gênero

SERVIÇO
Programação da campanha Março das Mulheres na UFPR

CURITIBA

Mesa de abertura do Março da Mulheres na UFPR
Contará com a presença da vice-reitora Graciela Bolzon de Muniz e representantes da Sipad, Proec, Prae e DCE. Na sequência, debate com o tema Mulheres, Mídia e Estratégias Políticas, com as professoras Carla Rizzotto e Nicole Kollross, do Decom.
Data: 08/3, às 10h30
Local: Auditório do Departamento de Comunicação Social (Decom), no Setor de Artes, Comunicação e Design (Sacod), que fica no Campus Cabral (R. Bom Jesus, 650).

Slam das gurias – 8M
Apresentada pelo Slam das Gurias cwb em parceria com a Coordenadoria de Cultura da Proec, a batalha de poesia tem o objetivo de incentivar mais mulheres a ocupar um lugar de fala. O movimento terá como temática “mulheres artistas no mercado de trabalho”. Uma homenagem às operárias russas que reivindicaram seus direitos e condições de trabalho nessa mesma data em 1917.
Data: 8/3, às 12 horas
Local: Praça Santos Andrade

Spots com depoimentos sobre violência de gênero na UFPR
Para incentivar a comunidade da UFPR a ouvir, refletir e se dispor a denunciar, spots de depoimentos reais sobre violência e discriminação de gênero colhidos pelo projeto #seasparedesdaufprfalassem serão veiculados em mídias da instituição (rádio e TV) ao longo do dia. Há relatos de alunos e professores.
Data: 13/3
Locais: Restaurantes Universitários (RUs) da UFPR, UFPR TV e Radioweb.

Exposição Mãos, Meninas, Mulheres
Apresentada pela Coordenadoria de Cultura da Proec, a exposição é composta por 15 projetos de artesanato realizados por mulheres brasileiras em vulnerabilidade social, mostrando como esta atividade serve, não só como fonte de renda, mas também como ferramenta de inclusão social e empoderamento.
Data: de 15 a 31 de março, das 8 às 22 horas
Local: Hall do Prédio Histórico (Praça Santos Andrade)

Mostra de filmes temática
Filmes e documentários nacionais e estrangeiros têm inspiração em temas das mulheres e foram selecionados por parceria entre Proec, Clínica de Direitos Humanos da UFPR, Sesc Paço da Liberdade e Instituto Aurora. As projeções ocorrerão no Sesc Paço da Liberdade (Praça Generoso Marques, 189).
Data: 25 a 30 de março
Filmes: “Corpo Manifesto”, de Carol Araujo (25/3, às 19h); “Repense o elogio”, de Estela Renner (25/3, às 19h30); “À espera”, de Nivaldo Vasconcelos e Sónia André (26/3, às 19h30); “Mulheres das Águas”, de Beto Novaes (26/3, às 20h); “Chega de Fiu Fiu”, de Fernanda Frazão e Amanda Kamanchek (27/3, às 19h30); “Eu Vejo Flores”, do Instituto Aurora, e “Além da Lei: o aborto legal no Brasil”, de Mirela Kruel, Karine Emerich e Taysa Schiocchet (28/3, às 19h30); “Menina de Barro”, de Vinícius Machado (30/3, às 15h); e “Nomes que importam”, de Muriel Alves e Angela Donini (30/3, às 15h40).

Espetáculo de dança “Aquela que é”, da Téssera Cia de Dança da UFPR
Parte integrante da Mostra Cambutadefedapata, no Festival de Teatro de Curitiba, a coreografia de Juliana Virtuoso aborda a temática da essência e da fonte de energia vital feminina, traz à tona reações orgânicas carregadas de simbolismo, compondo cenas a partir da emoção, da interpretação e das intencionalidades do movimento por meio da dança moderna. Com trilha sonora de Helen de Aguiar e iluminação de Luis Tscharnnell, o espetáculo coloca em cena o elenco da Téssera sob a direção de Rafael Pacheco. Entrada franca.
Data: 27,28 e 29 de março, sempre às 19 horas
Local: Teatro Novelas Curitibanas (R. Pres. Carlos Cavalcanti, 1.222)
Entrada gratuita (retirada de ingressos uma hora antes do evento)

Mostra de solos Work In Progress e bate-papo com as coreógrafas 
Serão apresentados dois solos, ambos em processo de construção, seguidos de bate papo sobre as possibilidades de criação em dança moderna. As coreografias de Helen de Aguiar serão interpretadas pelas bailarinas Juliana Virtuoso e Gabrielle Vasconcelos. Entrada gratuita.
Data: 29 de março, às 15 horas
Local: Teatro Novelas Curitibanas (R. Pres. Carlos Cavalcanti, 1.222)

Mesa Mulheres e a Universidade
A mesa pretende discutir quais os desafios enfrentados pelas mulheres numa Universidade Pública, seja no campo da construção do conhecimento cientifico seja nas relações de poder. Será composta pelas professoras Graciela Bolzon de Muniz (vice- reitora da UFPR); Maria Rita de Assis César (Prae); Regiane Ribeiro (diretora do Setor de Artes, Comunicação e Design – Sacod); e Vera Karam de Chueiri (diretora do Setor de Ciências Jurídicas).
Data: 14 de março, ás 17 horas
Local: Salão Nobre (1.º andar do Prédio Histórico, na Praça Santos Andrade)

Exposição Rosana Paulino na UFPR e mesa de debate
A exposição traz duas obras da artista visual Rosana Paulino, do acerco do Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros. Haverá uma mesa de debates que visa trazer a reflexão da produção da artista e o diálogo com as questões de raça e gênero no mundo das artes.
Data: 22 de março, às 14:30
Local: Museu de Arte da UFPR (MAE), no 1.º andar do Prédio Histórico (entrada pela R. XV de Novembro)

LITORAL (Matinhos)

Mostra de cinema
Serão projetados no pátio entre os blocos da UFPR Litoral (R. Jaguariaíva, 512, Caiobá) os seguintes filmes: “Chega de Fiu Fiu” (18/3, às 16h); “À Espera”, (19/3, às 14h); e “Mulheres das Águas” (29/3, às 16h).

Mesa redonda Mulher e Universidade
Os participantes serão componentes da Seção de Políticas Afirmativas, Assuntos Estudantis e Comunitários (Sepol): Valéria Oliveira, Debora Kaule e Manu Aguiar. A ideia é abordar as políticas afirmativas voltadas a mulheres indígenas, negras e com deficiência.
Data: 19/3, às 19 horas
Local: Pátio entre os blocos da UFPR Litoral (R. Jaguariaíva, 512, Caiobá)

Mesa redonda Violência contra a Mulher
Participação dos professores Silvana Escorsim (que falará sobre violência contra a mulher no Litoral do Paraná); Marcos Signorelli (que tratará da realidade de Matinhos); e Ana Coutinho (que abordará a violência obstétrica contra mulheres negras).
Data: 21/3, às 14 horas
Local: Pátio entre os blocos da UFPR Litoral (R. Jaguariaíva, 512, Caiobá)

Oficina de cerâmica do Projeto Mãos de Barro
A professora Ana Elisa Freitas será a ministradora.
Data: 22/3, às 14 horas
Local: Pátio entre os blocos da UFPR Litoral (R. Jaguariaíva, 512, Caiobá)

Mesa redonda Mulher e Trabalho
Os participantes serão as professoras Adriana Aguiar, que falará sobre as mulheres artesãs, e Barbára Antunes da Silva.
Data: 26/3, às 16 horas
Local: Pátio entre os blocos da UFPR Litoral (R. Jaguariaíva, 512, Caiobá)

Sarau de Poesia de Mulheres
Terá a presença da professora Elisiani Tiepolo, do projeto Minha Universidade Lê.
Data: 26/3, às 18 horas
Local: Pátio entre os blocos da UFPR Litoral (R. Jaguariaíva, 512, Caiobá)

Mesa redonda Mulheres e a Terra
Haverá a participação de Marisete Horochovksi, Ana Josefina Ferrari e representantes de movimentos agrários.
Data: 28/3, às 16h
Local: Pátio entre os blocos da UFPR Litoral (R. Jaguariaíva, 512, Caiobá)


UFPR nas Redes Sociais

UFPR no Facebook UFPR no Twitter UFPR no Flickr RSS UFPR UFPR no Youtube UFPR no Instagram
Universidade Federal do Paraná
Rua XV de Novembro, 1299 | CEP 80.060-000 | Centro | Curitiba | PR | Brasil | Fone: +55(41) 3360-5000
UFPR no Facebook UFPR no Twitter UFPR no Youtube
Setor de Universidade Federal do Paraná
Rua XV de Novembro, 1299
CEP 80.060-000 - Centro
Reitoria da UFPR - Curitiba - PR - Brasil
Fone: +55(41) 3360-5000

Imagem logomarca da UFPR

©2019 - Universidade Federal do Paraná

Desenvolvido em Software Livre e hospedado pelo Centro de Computação Eletrônica da UFPR