Universidade Federal do Paraná

Menu

Extensão e Cultura

Laboratório Interagir da UFPR promove oficina de inverno gratuita para crianças no Campus Rebouças

Bruna Bertoldi Gonçalves     17 de julho de 2019 - 15h09

O Laboratório Interagir da UFPR e o Projeto Aprendendo a Conviver realizaram uma oficina de inverno gratuita para cerca de 30 crianças de seis a 11 anos nas tardes dos dias 15 e 16 de julho no Campus Rebouças, no Centro de Curitiba. Promover a aprendizagem socioemocional por meio de estratégias para lidar com pequenas situações de conflito e estimular o grupo a levar o aprendizado para suas comunidades, famílias e escolas foi a proposta do evento.

A estratégia Diga (Dialogue, Ignore, Ganhe distância e Ache ajuda), utilizada para auxiliar as crianças a lidarem de forma positiva com situações desafiadoras de convivência, foi o tema da oficina. Durante os dois dias, os pequenos participaram de brincadeiras, rodas de contação de histórias, conversas sobre convivência, jogos lúdicos, atividades esportivas e artísticas.

Crianças de Curitiba e Região Metropolitana participaram, na tarde do dia 16 de julho, de uma roda de contação de histórias. Fotos: Leonardo Bettinelli/Sucom-UFPR

De acordo com o coordenador do Interagir, a ação tem o objetivo de melhorar a convivência nas escolas e nas comunidades e de ensinar as crianças a cuidarem umas das outras. “Eles participaram de atividades voltadas ao enfrentamento de situações de conflito, lidar por meio do diálogo, da ajuda, da responsabilidade pelo outro. As histórias que estamos contando valorizam a questão da empatia, do diálogo, da resolução de conflitos”, explica o professor do Departamento de Teoria e Fundamentos da Educação da UFPR, Josafá Cunha.

O professor universitário Francisco Bocca levou a neta Clara à oficina. “Ela quis voltar. Tem muita receptividade para as normas de brincar, como se comportar, e daí a aceitação disso, de querer voltar, participar das brincadeiras. Durante as férias, essa experiência dá uma continuidade ou uma alternativa para o que eles vêm fazendo na escola, e me pareceu bastante interessante”.

Clara, de 7 anos, fez uma pausa na atividade esportiva no pátio do Campus Rebouças para fazer a foto com o avô, Francisco.

“Eu tô achando bem legal, todo mundo brincando em equipe, com muita diversão. Eu gosto sempre de ficar jogando coisas no tabuleiro, sempre em equipe. A gente precisa aprender a viver em convivência, sempre um ajudando o outro”, afirmou Clara, de 7 anos. 

Psicóloga, professora universitária e doutoranda em Educação na UFPR, Hellen Tsuruda Amaral fez parte da equipe de voluntários e conduziu uma oficina de cartazes com as crianças. “Eles compreenderam o que é o Diga e estão elaborando, da maneira artística que acharem melhor, o que entenderam da mensagem, o que acham legal construir a partir disso. A ideia é que levem para casa, mostrem para os colegas e tenham o uso que quiserem desse material”, explicou a monitora durante a atividade.

A produção de cartazes estimulou a criatividade das crianças e reforçou os aprendizados adquiridos durante a oficina de inverno.

A história “A Ponte”, na qual um gigante e um urso desejam atravessar uma ponte estreita e só conseguem fazê-lo ao negociarem, entenderem a necessidade do outro e cooperarem, conduziu as atividades do primeiro dia da oficina.

Os profissionais que coordenaram as atividades são voluntários da UFPR e de outras instituições, qualificados para o desenvolvimento de ações culturais e recreativas, destinadas ao público infantil.

A oficina de inverno integra as atividades de um projeto voltado à promoção da responsabilidade social e da liderança pró-social entre crianças, por meio do fomento de ambientes mais seguros para o aprendizado. A ação – fruto de uma parceria internacional – é apoiada pela Templeton World Charity Foundation, por edital de apoio a projetos direcionados ao desenvolvimento de virtudes e forças de caráter.

O trabalho do Interagir – grupo de ensino, pesquisa e extensão – se constrói pela compreensão e reconhecimento dos desafios para a convivência em ambientes educacionais. “O projeto Conviver nasce da ideia de como podemos ajudar as pessoas a lidar com situação de bullying, de briga, que muitas vezes envolve a violência”, complementa Josafá.