Universidade Federal do Paraná

Menu

Extensão e Cultura

Fórum no Setor Litoral discute violência contra a mulher

Superintendência de Comunicação Social     27 de novembro de 2018 - 17h44

A UFPR Litoral reuniu servidores, estudantes e comunidade para discutir questões ligadas às relações de gênero. O II Fórum de Enfrentamento à Violência Contra a Mulher nasceu de pesquisa realizada pela estudante de Serviço Social Bárbara Antunes Silva, em que 72% das alunas do Setor Litoral ouvidas afirmaram já ter sofrido violência doméstica em algum momento da vida.

Bárbara levou a ideia do encontro para a Seção de Políticas Afirmativas, Assuntos Estudantis e Comunitários (Sepol), onde é estagiária. A pesquisa foi realizada em setembro e teve a participação de 244 pessoas, que representam 21% do universo de mulheres matriculadas no Setor. Entre as respondentes, 21% afirmaram que sofrem alguma forma de violência atualmente e 72% já passaram por isso em algum momento.

Barbara Silva ouviu 244 alunas do Setor Litoral para uma pesquisa; 72% disseram já ter sofrido violência doméstica em algum momento da vida.

“Isso quer dizer que a cada cinco mulheres que cumprimentamos no Setor Litoral, uma está em situação de violência. Isso é muito grave”, disse Bárbara na abertura do evento.

A primeira atividade do evento foi uma roda de conversa com o tema “A violência doméstica e familiar contra a mulher: agentes, manifestações e prevenção”. A mesa contou com a presença de Anna Carolina Lucca Sandri, do grupo de Promotoras Legais Populares, projeto de extensão da UFPR. Anna enfatizou a necessidade da existência de grupos de apoio que rompam o isolamento, para que as mulheres se sintam seguras para fazer denúncias e sair de relações violentas. “Hoje temos uma estrutura social que sustenta a autoridade do homem em relação a mulher, mas isso é uma construção social e histórica, que é vista como natural”, disse Anna Carolina.

A estudante de Geografia Emanuelle (Manu) Aguiar de Araujo, que milita pelos direitos das mulheres com deficiência, lembrou que elas formam um dos grupos mais vulneráveis à violência doméstica e institucional, uma vez que têm limitações de acessibilidade e comunicação e que os serviços públicos não são acessíveis a elas. “Ser mulher com deficiência é acumular vários preconceitos. Toda pessoa tem direito de ter uma vida social,mas para essas mulheres isso é negado”, enfatizou Manu.

As participantes do Fórum destacaram a importância da informação e de grupos de apoio contra a violência

Roseli Isidoro, que foi vereadora e secretária da Mulher no município de Curitiba, disse que é preciso unir esforços para que as poucas políticas públicas em defesa da mulher continuem disponíveis. “Não basta a gente conhecer a Lei Maria da Penha, que completou 12 anos de existência. É fundamental que a sociedade se aproprie do conteúdo dela. Hoje apenas dois por cento da população conhece seu conteúdo”, informou Roseli.

A programação continuou com outras duas rodas de conversa, uma à tarde, com o tema “Juntas somos mais fortes” – voltada a planejar o calendário de ações para o ano de 2019; e outra à noite, com o tema “Todas/os por uma! Orientações sobre o atendimento da mulher em situação de violência doméstica e familiar”.

Para a assistente social Joelma Pereira, o Fórum foi um momento importante para reunir pessoas ligadas a essa questão e construir um calendário de ações para o ano que vem. “Queremos que o evento se torne anual”, disse Joelma.


UFPR nas Redes Sociais

UFPR no Facebook UFPR no Twitter UFPR no Flickr RSS UFPR UFPR no Youtube UFPR no Instagram
Universidade Federal do Paraná
Rua XV de Novembro, 1299 | CEP 80.060-000 | Centro | Curitiba | PR | Brasil | Fone: +55(41) 3360-5000
UFPR no Facebook UFPR no Twitter UFPR no Youtube
Setor de Universidade Federal do Paraná
Rua XV de Novembro, 1299
CEP 80.060-000 - Centro
Reitoria da UFPR - Curitiba - PR - Brasil
Fone: +55(41) 3360-5000

Imagem logomarca da UFPR

©2019 - Universidade Federal do Paraná

Desenvolvido em Software Livre e hospedado pelo Centro de Computação Eletrônica da UFPR