Universidade Federal do Paraná

Menu

Extensão e Cultura

Festival Internacional de Cine Santa Cruz premia documentário produzido por alunos da UFPR

Bruna Bertoldi Gonçalves     29 de outubro de 2018 - 17h11

O curta-metragem “Fora da Caixa”, produzido por alunos da UFPR, foi eleito o melhor documentário universitário do Festival Internacional de Cine Santa Cruz (Fenavid). O evento anual, promovido pela Fundación Audiovisual (Fundav), organização cultural sem fins lucrativos, foi realizado de 18 a 24 de outubro em Santa Cruz, na Bolívia, e premiou longas-metragens, curtas-metragens de ficção e documentários.

“Fora da Caixa” foi dirigido e editado pelo estudante Eduardo Martins Zimmerman Camargo, com participação do aluno Kaoan Toledo como assistente de edição, ambos do oitavo período do Curso de Comunicação Social – Habilitação em Publicidade e Propaganda. O audiovisual de 15 minutos foi gravado em 2017 em Curitiba e em Guaraqueçaba, no litoral do Paraná, em parceria com a produtora Julieta Audiovisual. O curta remete à ideia de que pensar “fora da caixa” é uma forma de lutar contra o estado das coisas – o status quo. “É um documentário sobre novas formas de sociabilidade e maneiras possíveis de entender a sociedade e se colocar nela. Entrevistamos pessoas de vários perfis com algo em comum, que era a militância ou o ativismo social, e mostramos como entregam isso diariamente em seus cotidianos – no trabalho e de outras formas”, informa Eduardo, que recebeu a notícia sobre a premiação por meio de um amigo que participou do festival. “Fora da Caixa” é o seu primeiro documentário e o quarto curta-metragem.

Imagem do curta-metragem “Fora da Caixa”, vencedor na categoria melhor documentário universitário do Fenavid. Foto: Natasha Durski.

O prêmio de melhor ficção universitária foi para “Valentina”, produção da boliviana Monica Mallea. Entre os longas premiados, “Últimos dias em Havana”, do cubano Fernando Pérez, que conta a história de um doente terminal com AIDS; “Averno”, de Marcos Loayza, que aborda o nascimento de um herói; e “Ukamau e Ké”, documentário filmado pelo equatoriano Andrés Ramírez e que retrata a trajetória do rapper boliviano Abraham Bojórquez, pioneiro no hip hop andino.

Ao todo, 80 audiovisuais foram exibidos em bairros, salas e na prisão de Palmasola. Desde a primeira edição, em 2001, o Fenavid apresentou mais de 10 mil produções de 30 países. O festival reúne produtores, diretores, atores e outros profissionais do cinema e oferece debates, palestras e oficinas aos participantes. 

Mais informações sobre o evento e sobre os vencedores no site oficial do Fenavid e Página do festival no Facebook.