Universidade Federal do Paraná

Menu

Extensão e Cultura

Exposição sobre porta-bandeiras de Curitiba integra programação do mês da Consciência Negra na UFPR

Bruna Bertoldi Gonçalves     8 de novembro de 2019 - 17h57

A exposição “A saia que gira – cartografando o feminino negro nas porta-bandeiras de Curitiba” segue até o dia 19 de novembro no hall de entrada do Prédio Histórico da UFPR, na Praça Santos Andrade. O projeto, exposto em pontos turísticos de Curitiba, compõe a programação do mês da Consciência Negra na Universidade. De 20 a 31 de novembro, a mostra será realizada no hall de entrada do Campus Rebouças.

A exposição no Prédio Histórico da UFPR segue até o dia 19 novembro. Fotos: Marcos Solivan/Sucom-UFPR

O projeto para estudar as porta-bandeiras negras da cidade – viabilizado por meio de edital do Programa de Apoio e Incentivo à Cultura da Fundação Cultural de Curitiba – contou com a colaboração das professoras do Departamento de Educação da UFPR, Cláudia Madruga Cunha e Lucimar Rosa Dias. Integrantes de grupos de pesquisa da instituição que tratam das questões raciais, de gênero, colonização e da valorização dos saberes locais também contribuíram.

“Fomos em alguns ensaios das escolas de samba, mas só havia uma escola que tinha as duas porta-bandeiras negras: a Mocidade Azul. A Thais e a Fernanda prontamente aceitaram e nos colocaram nos ensaios até particulares da escola. A ideia da mostra é mostrar que existe, sim, samba em Curitiba, uma cidade que se pretende europeia. Além de existir, ele é protagonizado por mulheres negras. É uma função muito importante: é a que abre o desfile, leva a bandeira, é a que tem nota”, afirma a produtora e idealizadora do evento, Aline Di Giuseppe. 

As porta-bandeiras da Mocidade Azul, Fernanda Khrystine Souza Barbosa e Thais Darós Fernandes, receberam destaque na mostra que integra a programação da UFPR para reflexão sobre a consciência negra.

“As fotos estão no Jardim Botânico, na Praça Zumbi dos Palmares, na Rua São Francisco. A ideia é esse deslocamento: uma paisagem europeia com uma mulher negra, para mostrar que existem, sim, mulheres negras que protagonizam samba em Curitiba”, reforça a produtora.

Neste mês, a Universidade promove uma série de ações artístico-culturais nos diversos campi para discutir temas relacionados à consciência negra. No Brasil, o Dia Nacional da Consciência Negra é celebrado em 20 de novembro. 

Confira a programação completa aqui.