Universidade Federal do Paraná

Menu

Ciência e Tecnologia

Estudantes da UFPR buscam aprimoramento na área matemática em programa de verão do IMPA

Superintendência de Comunicação Social     1 de março de 2019 - 11h50

Alunos de ciências exatas da Universidade Federal do Paraná estão participando, desde o início de janeiro, do Programa de Verão do Instituto de Matemática Pura e Aplicada (IMPA), no Rio de Janeiro.  Durante esse período, pesquisadores e alunos de outras instituições participam de cursos, minicursos e seminários.

De 7 de janeiro a 1º de março de 2019, os alunos estudam sobre diversos temas da área matemática como álgebra, análise na reta, computação gráfica, equações diferenciais parciais, matemática aplicada e computacional, métodos matemáticos em finanças, entre outros.  O foco é a imersão em temas que ajudarão na pós-graduação ou no mercado de trabalho.

Nesta edição, participam do programa, aproximadamente, 400 estudantes de mestrado, doutorado e iniciação científica do Brasil inteiro – há inscritos de 21 estados – e de mais dez diferentes países. A programação inclui 18 disciplinas, 11 seminários e 11 minicursos ministrados por pesquisadores do IMPA e por professores de instituições estrangeiras – como Princeton, Cambridge, Paris XIII e Toronto – e brasileiras.

Os estudantes animam-se com a oportunidade de ter contato com profissionais renomados da Matemática. “É sempre muito bom adquirir conhecimentos novos. Eu aprendi coisas que não são estudadas na universidade. Do ponto de vista acadêmico, esse curso fortalece bastante meu currículo, visto que o IMPA é uma instituição muito respeitada na área”, conta Luiz Henrique Lara dos Santos, aluno de Matemática.

Foto: André Filgueira

Já Diogo Salles Vianna, estudante do Bacharelado em Física, salienta a importância das interações sociais e das novas oportunidades que surgem desse contato. “Estudamos assuntos fundamentais com campos próprios e uma profundidade muito grande. Outro ponto forte são as pessoas que encontramos durante o curso. As histórias de cada um sugerem um amplo leque de possibilidades acadêmicas, ideias de áreas e implementações que você poderia nunca ter percebido de outra forma”, revela.

A futura bacharel em Matemática Bianca Elena Wiltuschnig declara que sua vontade de participar do curso se deu pela experiência que poderia adquirir e para conhecer de perto o IMPA. “Para mim foi legal conhecer o IMPA e ter aula com um professor que eu já tinha ouvido falar. Além disso, o curso de verão conta ponto pro mestrado, um dos meus objetivos”.

A iniciativa de ingressar no programa de verão do IMPA é dos próprios alunos, que sentem vontade de buscar outras formas de capacitação na área. Para Vianna, passar dois meses praticamente ‘respirando’ matemática motiva a olhar para outros assuntos, retomar conteúdos antigos e vê-los com outros olhos auxiliado pela crescente capacitação na linguagem matemática formal.