Universidade Federal do Paraná

Menu

Ensino e Educação

Estudantes da Turma Honors recebem certificado de aprovação na disciplina de Cálculo I

Aline Fernandes França     3 de agosto de 2018 - 17h38

O projeto Honors é uma iniciativa do Departamento de Matemática da UFPR. Foto: Leonardo Bettinelli

A Universidade Federal do Paraná realizou, nesta sexta-feira (03), a cerimônia de encerramento da Turma Honors 2018/1. No total, 28 estudantes de diversos cursos foram aprovados no projeto.

A iniciativa é desenvolvida pelo Departamento de Matemática da UFPR e oferece o estudo aprofundado das disciplinas de Álgebra e Cálculo I. Iniciado em 2017 como projeto-piloto, o Honors atraiu, neste primeiro semestre, o interesse de alunos de todas as Engenharias, Matemática e até graduações de outras áreas, como Medicina.

O reitor Ricardo Marcelo Fonseca ressaltou que o papel da gestão universitária é abrir possibilidades. “A universidade é o lugar da excelência e aqui se produz a fronteira do conhecimento. A UFPR precisa fornecer todas as condições para que a alta qualidade possa ser vicejada e dar frutos; a sociedade brasileira conta com isso. Parabéns pelo êxito, a universidade sempre apoiará essa linda iniciativa”.

O professor responsável pela turma, Carlos Fernández, afirmou que o curso é destinado a alunos que queiram ir além e estão dispostos a trabalhar mais. “Minha intenção foi tirar o espírito burocrático tão perigoso. É preciso ter brilho nos olhos, tentei transmitir essa sensação de liberdade”, afirmou o professor responsável pelo curso, Carlos Fernandez. “Temos o dever de que todo o aluno que entra na universidade consiga atingir o máximo dos seus talentos. O curso Honors é a liberdade, não percam isso, continuem voando”, disse aos estudantes.

“Esse programa faz parte de uma série de iniciativas que o Departamento de Matemática vem tomando nos últimos anos. Esse é o início de uma tentativa de trazer essa intuição natural de vocês e canalizá-la de forma construtiva”, ressaltou o vice-diretor do Setor de Ciências Exatas, Alexandre Trovon.

O chefe do departamento de Matemática, professor José Carlos Eidam, destacou que o projeto representa apenas o início para os estudantes. “É um desafio trabalhar com alunos que têm o potencial de vocês. Não parem aqui, essa é a porta de entrada, desenvolvam essa habilidade, isso é só o começo. A universidade está aberta para receber alunos com esse potencial”.

O pró-reitor de Graduação, Eduardo Barra, parabenizou os estudantes. “Vocês concluíram a tarefa proposta e isso é uma experiência de realização. Vocês foram desafiados e fizeram da forma mais brilhante possível. Continuem firme nessa formação que receberam, vocês já mostraram ser de altíssimo nível”.

 

Turma 2018/1

Da esquerda para direita: estudante Diogo Luiz Vianna, reitor Ricardo Marcelo, pró-reitor Eduardo Barra e professor Carlos Fernández. Foto: Leonardo Bettinelli

Os estudantes da Universidade Federal do Paraná precisam passar por uma seleção para integrar o projeto. A cada semestre uma disciplina é ofertada.

Diogo Luis Vianna é um dos quatro integrantes que atingiram a nota máxima no projeto. Aos 18 anos, o acadêmico de Física conta que a experiência foi interessante. “Para mim, foi divertido. Aqui tivemos uma fundamentação mais profunda. O que aprendemos serve para as próximas matérias e também como aprendizado do mecanismo de lógica matemática. No próximo semestre, pretendo realizar a prova novamente e dar continuidade ao processo”.

O estudante de Medicina, Davi Carneiro, relata que sempre teve afinidade com Exatas. “Entrei em Medicina um tanto confuso e agora decidi trocar de área”. Davi afirma que vai prestar um novo vestibular, mas ainda não definiu o curso. “A turma Honors fez toda a diferença para eu ter certeza que as Exatas são o meu meio de fato”.

 

Projeto Honors

O projeto oferece embasamento matemático aprofundado para estudantes com excelente raciocínio lógico e curiosidade. Por meio das aulas, os acadêmicos constroem bases sólidas para disciplinas mais avançadas dos cursos.

O Honors é realizado em parceria com o Núcleo de Estudos e Práticas em Altas Habilidades (Nepahs) e o Núcleo de Apoio às Pessoas com Necessidades Especiais (Napne).
Saiba mais sobre o projeto aqui.