Universidade Federal do Paraná

Menu

Extensão e Cultura

Estudante integrante do PMUB desenvolve projeto com refugiados na Espanha

Superintendência de Comunicação Social     22 de fevereiro de 2019 - 9h41

A UFPR é membro da United Nations Academic Impact (Unai), rede de universidades da ONU e se compromete a manter e aprofundar sua atuação nas áreas-chave da rede, todas relacionadas às metas de desenvolvimento sustentável da Agenda 2030 das Nações Unidas.

 

Uma programação de viagem diferente foi o que Maria Beatriz de Souza Alverne Maia decidiu fazer ao viajar para a Espanha nas férias. A estudante de psicologia da UFPR foi ao país com o objetivo de realizar trabalho voluntário na organização de reciclagem de plástico Plastik Red, mas ao chegar lá descobriu a possibilidade de tornar sua presença ainda mais significante e criou um projeto que conecta arte, sustentabilidade e refugiados.

Foto: Arquivo Pessoal

“Conectando arte e refugiados em um ambiente sustentável” nasceu após a visita de Maria à Comissão de ajuda ao refugiado em Euskadi (CEAR) na cidade de Bilbão. “O responsável, Pedro Vacaflor Raña, recepcionou-me e comentou sobre os projetos existentes, alertando-me sobre a possibilidade de criar meu próprio projeto”. Ela conta que a execução da iniciativa só foi possível com a colaboração da organização de reciclagem em que estava voluntariando, do centro de refugiados local, de artistas da região – como a basca Catalina Maria – e do movimento artístico cultural ZAWP, que forneceu o local para a realização das atividades.

Foto: Arquivo Pessoal

A partir da colaboração de diferentes organizações, o projeto – que criou uma escultura de plástico – promoveu a integração de pessoas em condição de refúgio com artistas e habitantes locais, abriu espaço para compreensão sobre a reutilização de materiais feitos de plástico e proporcionou empoderamento e resistência através da arte. “Cada dia estou mais certa de que a arte é uma das melhores formas de conectar as pessoas. Acredito que atualmente precisamos de mais iniciativas que conectem pessoas a serviços. Por meio da arte é possível desenvolver autoconhecimento, autoestima e habilidades sociais”, explica a estudante.

Foto: Arquivo Pessoal

Há dois anos dedicando-se ao trabalho com pessoas em condição de refúgio em Curitiba, Maria descobriu que queria atuar com a temática no programa da Política Migratória e Universidade Brasileira (PMUB). “Neste programa, faço parte do projeto de psicologia chamado ‘Migração e processos de subjetivação: Psicanálise e Política na rede de atendimento a migrantes’”. Ela tem a pretensão de trazer o projeto realizado na Espanha para a UFPR e desenvolvê-lo com crianças que estão nessa condição.

“É importante promover soluções duradouras para os problemas pelos quais os refugiados passam e assegurar que tenham direitos como qualquer outro cidadão, por isso a importância da parceria com governos e instituições locais. As pessoas nesta condição muitas vezes encontram dificuldade de se integrar na sociedade e esses projetos mostram o potencial de contribuição delas para comunidades e economias locais”. A obra produzida pelos integrantes do projeto será exposta, primeiramente no ZAWP e depois será doada para alguma organização espanhola.