Universidade Federal do Paraná

Menu

Ciência e Tecnologia

Escola mais sustentável projetada pela UFPR com tecnologia inédita deve ser construída em Piraquara

Superintendência de Comunicação Social     22 de abril de 2019 - 14h58

Projeto desenvolvido por professores e estudantes da Universidade ficou entre finalistas de competição internacional nos Estados Unidos e atraiu interesse de empresa de São José dos Pinhais, que pretende começar obras no fim deste ano

Num primeiro olhar para dentro do edifício em projeção de realidade virtual a sensação é de estar em casa, com uma estrutura que lembra o próprio lar. Do virtual para o real, o aconchego se soma à busca de sustentabilidade com uma construção que gera a própria energia elétrica, reaproveita a água das chuvas e traz conforto térmico por meio de uma tecnologia inédita desenvolvida por pesquisadores da Universidade Federal do Paraná (UFPR). Trata-se de uma escola projetada num terreno do município de Piraquara (PR) por professores e estudantes de pós-graduação da Universidade. O trabalho ficou entre finalistas da competição internacional Solar Decathlon Design Challenge, nos Estados Unidos, com o primeiro lugar na votação de júri popular na categoria Escolas, e atraiu o interesse da empresa de galpões Portal IC, de São José dos Pinhais (PR). A intenção é colocar a ideia em prática, com previsão de começar as obras no fim deste ano numa área localizada no Contorno Leste da BR-116, nas proximidades da represa do Rio Iraí, em Piraquara.

Escola é projetada pela UFPR com tecnologia inédita que faz o ar externo circular no subsolo, usando ventiladores para enviá-lo para dentro do edifício por cavidades nas paredes. Imagem: Divulgação

Escola é projetada pela UFPR com tecnologia inédita que faz o ar externo circular no subsolo, usando ventiladores para enviá-lo para dentro do edifício por cavidades nas paredes. Imagem: Divulgação

O coordenador da equipe que desenvolveu o projeto, Aloísio Leoni Schmid, professor do Departamento de Arquitetura e Urbanismo da UFPR, explica que a tecnologia inédita que batizou “capacidade térmica remota” faz o ar externo circular no subsolo, usando ventiladores para enviá-lo para dentro do edifício por cavidades nas paredes. “Os tubos de ar ainda passam por dentro de uma piscina de contenção de cheias, o que acelera o processo. Esse ar é previamente filtrado e desbacterizado e tem doses certas e locais estratégicos para ser insuflado na construção de modo a trazer a temperatura dos ambientes para a faixa desejada sem necessidade de ar-condicionado ou aquecedor”, continua. Além disso, a construção é leve em estrutura de madeira laminada colada, tecnologia que está crescendo e reduz o impacto ambiental de escolas convencionais, de acordo com o professor.

A instituição de ensino projetada gera a própria energia elétrica por meio de painéis fotovoltaicos, que aproveitam a radiação solar, distribuídos no pátio e nas janelas. “A estrutura também foi pensada para uma região com problemas de violência, buscando integrar a comunidade. A ideia apresentada foi disponibilizar equipamentos ao público aos fins de semana, como auditório, biblioteca e refeitório, criando um sentimento de pertencimento e responsabilidade pela escola”, diz o professor Schmid.

A instituição de ensino projetada gera a própria energia elétrica por meio de painéis fotovoltaicos, que aproveitam a radiação solar, distribuídos no pátio e nas janelas. Imagem: Divulgação

A instituição de ensino projetada gera a própria energia elétrica por meio de painéis fotovoltaicos, que aproveitam a radiação solar, distribuídos no pátio e nas janelas. Imagem: Divulgação

De acordo com o diretor da empresa de consultoria e planejamento EPI, que atende ao Portal IC, Didio Costa da Rocha Loures, os diretores do Portal IC apoiaram a iniciativa e pretendem construir a escola, com algumas adequações necessárias, dentro do complexo Portal da Graciosa, em Piraquara. O empreendimento compreenderá um condomínio logístico e corporativo e equipamentos sociais, como escola, creche e centro de inovação. A área total possui 300 hectares, com 150 mil metros quadrados para a construção da escola, que deve oferecer ensino fundamental e médio.

“O projeto [da UFPR] é não só inovador em termos de tecnologia, mas foi desenvolvido num contexto de realidade. A proposta veio ao encontro da cultura organizacional dos empreendedores, que se preocupa com as questões sociais”, diz Loures. O diretor explica que a ideia é construir uma escola que seja um centro de referência mundial de educação da infância à juventude.

A escola tem como um dos objetivos sociais a educação ambiental e contará com edifícios com salas de aula, laboratórios, vestiários, auditório, biblioteca, refeitório, pátio coberto e duas quadras de esporte, sendo uma coberta.

Destaque em competição internacional

O projeto desenvolvido por quatro professores e seis estudantes de pós-graduação da UFPR foi destaque na Solar Decathlon Design Challenge, que ocorreu entre os dias 12 e 14 de abril, nos Estados Unidos. O trabalho ficou entre oito finalistas, sendo o único de universidade brasileira, na categoria Escolas da competição internacional, com o primeiro lugar na votação de júri popular.

Para apresentar o projeto no evento internacional, os pesquisadores da UFPR criaram modelo em realidade virtual. Foto: Divulgação

Para apresentar o projeto no evento internacional, os pesquisadores da UFPR criaram modelo em realidade virtual. Foto: Divulgação

O coordenador da equipe da UFPR, professor Aloísio Leoni Schmid, explica que o objetivo do evento internacional é explorar a eficiência energética, que é a economia de energia sem prejuízo dos serviços energéticos, e o fornecimento de energia de fontes renováveis para tornar os edifícios autônomos energeticamente. “Recebemos vários elogios, especialmente pelo design do projeto. A UFPR pode se alegrar sabendo que se nivela com as melhores universidades do mundo na integração de energia renovável, eficiência energética e projetos arquitetônicos”, diz.

Os jurados avaliaram dez desafios principais – por isso, Decathlon – entre eles, o desempenho energético da construção, inovações para a construção civil, estrutura, arquitetura e viabilidade financeira. Para apresentar o projeto no evento, os pesquisadores da UFPR criaram modelo em realidade virtual.

Parte da equipe da UFPR que participou da Solar Decathlon Design Challenge, nos Estados Unidos. Foto: Divulgação

Parte da equipe da UFPR que participou da Solar Decathlon Design Challenge, nos Estados Unidos. Foto: Divulgação

A equipe da UFPR é formada pelos professores Aloísio Leoni Schmid, Maria Regina Leoni Schmid Sarro, Fabíolla Xavier Rocha Ferreira Lima e Márcio Henrique de Sousa Carboni; e estudantes de pós-graduação Sofia Hinkel Dias, Rafael Santos Fischer, Alexandre Ruiz da Rosa, Luiz Gustavo Grochoski Singeski, Flávia Aparecida Oliveira e Julia Fernanda dos Santos Blasius. Os pesquisadores são dos programas de pós-graduação em Engenharia de Construção Civil e em Design da UFPR.

Assista abaixo ao vídeo que mostra a escola projetada:

Por Chirlei Kohls
Parceria Superintendência de Comunicação e Marketing (Sucom) e Agência Escola de Comunicação Pública e Divulgação Científica e Cultural da UFPR


UFPR nas Redes Sociais

UFPR no Facebook UFPR no Twitter UFPR no Flickr RSS UFPR UFPR no Youtube UFPR no Instagram
Universidade Federal do Paraná
Rua XV de Novembro, 1299 | CEP 80.060-000 | Centro | Curitiba | PR | Brasil | Fone: +55(41) 3360-5000
UFPR no Facebook UFPR no Twitter UFPR no Youtube
Setor de Universidade Federal do Paraná
Rua XV de Novembro, 1299
CEP 80.060-000 - Centro
Reitoria da UFPR - Curitiba - PR - Brasil
Fone: +55(41) 3360-5000

Imagem logomarca da UFPR

©2019 - Universidade Federal do Paraná

Desenvolvido em Software Livre e hospedado pelo Centro de Computação Eletrônica da UFPR