Universidade Federal do Paraná

Menu

Extensão e Cultura

Equipe da UFPR participa de competição nacional de aerodesign nesta semana

Aline Fernandes França     29 de outubro de 2018 - 12h08

Entre os dias 1º e 4 de novembro, a equipe Burning Goose Aerodesign participa da competição nacional SAE Brasil AeroDesign, realizada anualmente em São José dos Campos – SP. Pela primeira vez, o grupo da UFPR levará dois aviões completos para disputar a categoria regular.

Desde o primeiro semestre, a Burning Goose iniciou o projeto e realizou testes em um protótipo em escala. Os estudantes iniciaram a construção dos aviões oficiais, batizados de Peter Spring e Canarinho, no mês de junho. Os dois biplanos são iguais e produzidos a partir do projeto Grifo.

O objetivo desafiador de construir aviões exigiu horas de dedicação, inclusive durante o período de férias. Cinquenta e cinco estudantes de vários cursos de graduação da UFPR, que integram o grupo, colocaram em prática o conhecimento da sala de aula e de pesquisas, trabalhando em equipe.

Divulgação: Burning Goose Aerodesign

“Os itens do avião não podem ser isolados. A asa é projetada em conjunto com a aeronáutica, que garante que a aerodinâmica vai funcionar; a estrutura garante que as forças que a aeronáutica encontrou resistirão e, a elétrica, que o comando vai ser feito adequadamente”, explica o capitão Nicolas Gusso, estudante do curso de Engenharia Mecânica. “A equipe precisa trabalhar em conjunto e harmonia para fazer um avião com qualidade”.

A aeronave de quatro quilos tem capacidade para levar uma carga de até 18 quilos e passará por avaliação técnica da SAE Brasil. As novidades do avião deste ano são o uso extensivo de madeira balsa e adoção de design no plano. O método de dimensionamento dos controles passou por melhorias, fazendo a aeronave voar e responder melhor aos comandos.

Em 2016, a equipe ficou em 59º lugar na competição e alcançou a 48ª colocação no último ano. Nesta 20ª edição do evento, o objetivo é ter um melhor desempenho. “Queremos ser campeões e estamos fazendo isso através de melhorias contínuas. Nossa meta este ano é o 30º lugar”, afirma o estudante Thomas Gusso, diretor financeiro da equipe.

Avião Peter Spring. Divulgação: Burning Goose Aerodesign

Monoplano classificatório para 2019

A Burning Goose também projetou, paralelamente aos aviões principais, um monoplano (monoplano) para o torneio de acesso da SAE Brasil AeroDesign. A etapa classifica as equipes que poderão concorrer à categoria micro, em 2019.

Apesar de ser menor e mais simples que a aeronave oficial, o monoplano traz a tecnologia endplates – uma modificação nas pontas da asa que proporciona mudanças para o voo.

O torneio de acesso acontece por meio de vídeos gravados pela equipe, mostrando o funcionamento e o voo do avião. A equipe aguarda o resultado para a possível construção de um avião elétrico no próximo ano.

 

Burning Goose

A equipe de aviação da UFPR nasceu há 17 anos, já teve outros nomes e chegou a encerrar as atividades por um período. Há sete anos, retornou como Burning Goose e voltou a competir em 2016.

Os campeonatos dão visibilidade ao trabalho desenvolvido pelos estudantes. O histórico da Burning Goose mostra a proporção dos resultados, já que dois ex-capitães da equipe tornaram-se engenheiros da Embraer.

Para fazer parte das equipes é necessário ser aprovado em processo seletivo aberto a cada semestre. Além da prova, os novos integrantes também podem passar por desafios e treinamentos. Conheça mais sobre a Burning Goose aqui.