Universidade Federal do Paraná

Menu

+ UFPR

Distanciamento social pode conter Coronavírus, alerta cientista da UFPR

Superintendência de Comunicação Social     17 de março de 2020 - 15h24

O termo pode parecer ríspido, mas tem uma importância cada vez maior no combate ao Coronavírus: o distanciamento social – necessidade de restringir a circulação e o contato com as pessoas – pode salvar vidas. De acordo com o professor Emanuel Maltempi de Souza, do Departamento  de Bioquímica e Biologia Molecular, esta medida pode conter um espalhamento rápido do SARS-CO2 e evitar que atinja os públicos mais vulneráveis.

Maltempi preside a comissão de especialistas da UFPR constituída para orientar e propor medidas práticas de enfrentamento ao Coronavírus, além de acompanhar o contexto local e global da doença. Além dele, o grupo também é formado por infectologistas, especialistas em saúde comunitária e ocupacional e em comunicação.

Professor Emanuel Maltempi recomenda distanciamento social como medida preventiva (Foto: Marcos Solivan/SUCOM)

Para ele, a questão do distanciamento social é chave para minimizar os efeitos do vírus. Isso porque, quanto menos as pessoas circularem, menos chance elas terão de se contaminarem ou ainda de espalharem o vírus. O professor lembra que há doentes que não manifestam os sintomas, mas que podem disseminar o vírus. “A melhor resposta é diminuir o contato com as pessoas, é isso que vai diminuir a taxa de transmissibilidade”. A orientação é que, quando necessário sair de casa, mantenha-se a distância de pelo menos 1,5 metros de quem estiver ao redor.

Segundo o professor, cuidados cotidianos, como o uso do álcool em gel e o hábito de lavar as mãos com frequência são importantes, mas o distanciamento é mais efetivo neste momento. Esse foi um dos argumentos que reforçou a necessidade de suspensão das aulas por 14 dias, inicialmente, na UFPR. Como as salas de aulas e os campi, em geral, são espaços de aglomeração, a medida é preventiva. “Nós preferimos assumir esse posicionamento cauteloso do que esperar”, comenta. Por isso, a UFPR alerta para que a comunidade universitária só circule em lugares estritamente necessários, mantendo a distância segura de 1,5 metros.

Há um outro fator envolvido na adoção desse tipo de medida: como os testes de confirmação da COVID-19 demoram a ter resultado e não são feitos com todos os pacientes, muitas vezes é impossível saber se se está ou não em contato com alguém doente. Evitar lugares de aglomeração ou reduzir drasticamente a circulação é uma medida que também contribui diante desse tipo de incerteza.

O pesquisador lembra, ainda, que a opção pelo distanciamento não é apenas um autocuidado – já que para pessoas que não constituem um grupo de risco podem ter sintomas similares a de outras gripes -, mas uma preocupação com o outro, especialmente com os idosos, que têm a maior taxa de letalidade até aqui. “Do ponto de vista individual, o Coronavírus não tem gravidade, mas do ponto de vista epidemiológico ele tem um potencial devastador, pois afeta os sistemas de saúde e não temos leitos para tanta demanda”, alerta.

Saiba tudo sobre as ações da UFPR relacionadas ao Coronavírus


UFPR nas Redes Sociais

UFPR no Facebook UFPR no Twitter UFPR no Flickr RSS UFPR UFPR no Youtube UFPR no Instagram
Universidade Federal do Paraná
Rua XV de Novembro, 1299 | CEP 80.060-000 | Centro | Curitiba | PR | Brasil | Fone: +55(41) 3360-5000
UFPR no Facebook UFPR no Twitter UFPR no Youtube
Setor de Universidade Federal do Paraná
Rua XV de Novembro, 1299
CEP 80.060-000 - Centro
Reitoria da UFPR - Curitiba - PR - Brasil
Fone: +55(41) 3360-5000

Imagem logomarca da UFPR

©2020 - Universidade Federal do Paraná

Desenvolvido em Software Livre e hospedado pela AGTIC - Agência de Tecnologia da Informação e Comunicação da UFPR