Universidade Federal do Paraná

Menu

Extensão e Cultura

Conheça o ConVIDA, programa que promove ações para valorizar relações e pessoas na UFPR

Bruna Bertoldi Gonçalves     2 de março de 2020 - 15h31

Aproximar pessoas, práticas e saberes e valorizar o que se faz na UFPR, para que a Universidade se torne um espaço cada vez mais propício às relações e ao bem-estar: essa é a proposta do ConVIDA. “Tem muita coisa que acontece de bom aqui, mas que não encontra com outras pessoas que estão também fazendo essas práticas. É um programa para identificar os polos de iniciativas inovadoras que favorecem a aproximação de pessoas e atribuem sentido ao fazer dentro da Universidade”, informa a coordenadora do ConVIDA, professora do Departamento de Psicologia e assessora do Gabinete da Reitoria, Lis Soboll.

O primeiro passo para a prevenção de problemas de saúde mental, suicídio e conflitos crônicos na instituição, como bullying e assédio moral, é favorecer os vínculos e as interações e melhorar o tecido social, explica a docente. “Há uma preocupação com questões de saúde e sofrimento emocional na Universidade. A ideia é o programa estar espalhado nos diversos campi para que a gente esteja onde as pessoas estão”.

Criado a partir de uma demanda do Gabinete da Reitoria, o ConVIDA surge com o objetivo de potencializar o senso de pertencimento, a qualidade das relações e fazer enfrentamento e prevenção aos problemas de saúde e de relacionamento na UFPR. As ações do programa institucional começaram a ser desenvolvidas em junho de 2019.

Um dos princípios do projeto é a corresponsabilização e a construção de sentidos na Universidade de maneira compartilhada, detalha a coordenadora. “O nome vem de convidar as pessoas a ocupar os lugares de ação que elas têm, com responsabilidade, mas também de vida. É convidar à vida, ao palco, é trazer de fato possibilidades de interação, de encontro, de significado no cotidiano”, complementa.

Espaços Vivos

Um dos eixos de ação do programa são os “Espaços Vivos”, que se caracterizam pela revitalização ou criação de áreas de convivência a partir de recursos já disponíveis na UFPR, com intervenção mínima, mas suficiente para aproximar as pessoas. “O primeiro espaço foi no pátio interno da Santos Andrade. Usamos os recursos acessíveis, a tinta, os móveis do depósito; o material usado nessas pequenas reformas é o disponível no momento. O pressuposto é esse”, afirma Lis. A intenção é estimular atividades musicais e artísticas e oportunizar à comunidade interna espaços de expressão e de convívio.

Atividade cultural realizada no segundo semestre de 2019 no pátio interno do Prédio Histórico da UFPR, localizado na Praça Santos Andrade, no Centro de Curitiba. Fotos: Divulgação

Espaço de convivência para alunos, professores e técnicos da Federal do Paraná.

A sala do Museu de Arqueologia e Etnologia (MAE), no Prédio Histórico da UFPR, atualmente é utilizada pela equipe do ConVIDA. O local, fechado há cerca de um ano e meio, foi cedido temporariamente ao grupo até que ocorra uma reforma para adequação do espaço às necessidades do Museu. “Para o MAE a sala não era adequada, mas para o ConVIDA ela é suficiente e bem apropriada. Buscamos aproveitar espaços que estão fechados, trazendo essa vida para a Universidade”.

A partir de 2020,  a sala será compartilhada com a equipe do Projeto Interlúdio, coordenado por Tatiana Riechi, professora do Departamento de Psicologia da UFPR. O espaço proporcionará a criação de um laboratório de interação social com de jogos de tabuleiro. Os estudos fundamentarão pesquisas sobre a relação dessas práticas com a promoção da saúde mental.

Sala do MAE, primeiro museu universitário do Estado do Paraná, cedida ao ConVIDA. O espaço, agora revitalizado, também será utilizado pela equipe do Projeto Interlúdio.

Temporada Amarela

A Temporada Amarela é uma das ações do ConVIDA voltada ao bem-estar, à valorização da vida, à prevenção da saúde mental e ao desenvolvimento do senso de pertencimento. Sensibilizar a comunidade para a prevenção ao suicídio, abrir espaços de fala sobre o que incomoda e proporcionar encontros para compartilhar vivências sobre o cotidiano na universidade e na vida são propósitos das ações. A primeira edição do evento foi realizada de agosto a outubro de 2019. Alunos e professores conduziram as atividades, destinadas a alunos, técnicos, docentes e interessados.

Professoras Sabrina Stafanello e Lis Soboll e alunos da UFPR em espaço de diálogo durante a primeira edição da Temporada Amarela.

Docentes da UFPR e equipe do Centro de Valorização da Vida (CVV) durante evento da Temporada Amarela realizado na Praça Santos Andrade no dia 10 de setembro de 2019.

Diálogo sobre Relações e Trabalho

Ações de capacitação gerencial estão em andamento na instituição para prevenção e enfrentamento ao assédio moral e aos problemas de saúde mental. Em 2019, foram realizadas três edições do “Diálogo sobre Relações e Trabalho”, direcionadas a grupos de gestores acadêmicos e administrativos.

“Foram oficinas fundamentadas na troca, nos diálogos entre gestores para busca de soluções para os desafios cotidianos. Tem sido uma experiência bastante interessante. De fato, o assédio moral e os conflitos disfuncionais, eles têm mais caminhos de aparecer ou se consolidar exatamente na falta gerencial: a falta de treinamento, de apoio para a gestão, a falta de capacitação”. Melhor instrumentalizar os gestores para suas práticas cotidianas é o caminho para as estreitar as relações e profissionalizar cada vez mais a gestão, avalia a professora.

Diálogo sobre Relações e Trabalho com gestores administrativos da UFPR no Salão de Atos do Parque Barigui.

Gestores acadêmicos de setores, departamentos, coordenações de graduação e pós-graduação e vice-coordenadores também estão sendo convidados a participar de edições promovidas pelas unidades em conjunto com o ConVIDA. Em dezembro de 2019, a Pró-Reitoria de Graduação e Educação Profissional (Prograd) ofereceu um módulo especial de capacitação para docentes da UFPR com o tema “Saúde e Relações na Universidade”, com 12 horas de duração, em parceria com o Programa. Para 2020, estão previstas edições para gestores administrativos e acadêmicos e para professores.

Capacitação sobre relações e trabalho para gestores acadêmicos da Federal do Paraná no Setor de Ciências Biológicas.

Projeto Sentido

O Projeto Sentido tem como público-alvo os estudantes e foi criado com o objetivo de promover reflexões sobre suas escolhas e oferecer orientação para projetos de vida e de carreira. No modelo atual, conta com cerca de 14 horas de duração, com a possibilidade de ser realizado em edições de 12, 16, 30 e 60 horas. As relações, os propósitos e os objetivos de vida estão no centro das discussões. Alunos de graduação e de pós-graduação da UFPR e membros da comunidade externa podem participar, conforme a a formatação de cada edição.  

A proposta surgiu há cerca de cinco anos, durante as orientações do estágio realizado no último ano do curso de Psicologia. A angústia que os acadêmicos manifestavam com a proximidade da formatura e a desestabilização emocional que transparecia nas conversas chamou a atenção da professora Lis.

“A conclusão do curso estava chegando como se fosse uma surpresa angustiante. Resolvi, junto com eles, proporcionar essas reflexões. Comecei a acompanhá-los nos grupos de estágio para o desenvolvimento de um projeto de vida e de carreira que fosse direcionador das práticas do estágio. Os alunos de quinto ano tiveram o desejo de compartilhar isso com outros colegas e o projeto foi se ampliando”, relembra.

A ideia originou um evento de extensão, realizado pela docente e pelos alunos, que se transformou em disciplina optativa, ofertada durante três semestres. No ano passado, a ação passou a integrar o ConVIDA e recebeu o nome de Projeto Sentido, com o intuito de ampliar o acesso aos demais cursos da UFPR, com vagas oferecidas também à comunidade externa.

O programa vem sendo experimentado em diferentes formatos e, desde 2019, foram promovidas cinco edições, com cerca de 400 pessoas atendidas. Em junho, o Projeto Sentido foi realizado no Campus Reitoria. A edição de agosto ocorreu no Setor de Educação Profissional e Tecnológica (Sept) e contou com a colaboração de 15 estudantes de Psicologia. O evento reuniu cerca de 200 participantes. Simultaneamente, professores do Sept participaram de atividades com a professora Dione Menz – do Setor de Educação -, com ênfase na prevenção do suicídio e na valorização da vida. Em outubro, o Projeto foi realizado no Prédio Histórico. A última edição ocorreu nos dias 18 e 19 de fevereiro de 2020, no Centro Politécnico, em parceria com o PET Matemática, no Setor de Exatas.

Professoras Dione Menz, Flávia Bespalhok e Lis Soboll com alunos e professores no encerramento da edição do Projeto Sentido no Sept.

A construção conjunta que valoriza a inteligência coletiva e as trocas entre as pessoas é a base dos encontros, que contam com conteúdo expositivo inicial – contextualização do projeto e de princípios que norteiam as ações -, momentos de reflexão individual, conversas em pequenos grupos e discussão posterior com o grande grupo. Durante as atividades, músicas ao fundo para inspirar e compor o ambiente acolhedor. A escrita é um recurso proposto para facilitar a organização das ideias e dos pensamentos. Vídeos são exibidos para complementar explicações e reforçar aprendizados. Metodologias colaborativas, com técnicas de interação em grupos e processos de aprendizagem coletivos, também são utilizados.

“O próprio trabalho é uma construção de tecido social, um fortalecimento da rede interna na Universidade. Independente se estamos trabalhando com um auditório de 200 pessoas, como a edição que fizemos no Sept, ou em grupos menores, sempre há esse movimento: meu espaço de pensar, de parar, de refletir; eu junto com o outro e a noção desse pertencimento”, complementa a coordenadora do Projeto Sentido e idealizadora do ConVIDA.

A necessidade de respeitar o tempo das coisas acontecerem é um viés trabalhado com os grupos. “Os alunos falam da contribuição de poder parar, pensar na sua vida, olhar para suas angústias, para os medos, para as coisas que animam, para quem são, reconhecer as trajetórias e as relações significativas, pensar nos sonhos, mapear isso. Uma possibilidade de trocar e perceber que a minha angústia não é só minha”, observa Lis.

Entre as trocas propostas, espaço para que os participantes sugiram aos colegas projetos e atividades que existem na UFPR; compartilhamentos sobre os cursos de graduação e dicas para aqueles que estão começando; informações que gostariam de ter recebido quando ingressaram na Universidade; alternativas de trabalhos remunerados que podem ser feitos durante a formação ou após o término das aulas, enquanto os alunos não se estabelecem naquilo que desejam. “Eles trocam bastante e isso sempre aparece como um dos grandes pontos positivos do processo”.

Registro de uma das edições de 2019 do Projeto Sentido. Momento de diálogo e de trocas entre os participantes.

Orientados por Lis, alunos do quinto ano do curso de Psicologia coordenam os grupos do Projeto Sentido. Previamente, preparam a fundamentação teórica, cooperam com as discussões e fazem o planejamento em conjunto. Alunos de outros períodos também participam para desenvolver projetos de extensão e de pesquisa ou para agregar informações à revisão bibliográfica de suas monografias. “Cada um vai integrando o projeto dentro de atividades que têm coerência com aquilo que precisa fazer”. Estudantes de outros cursos também podem participar das reuniões preparatórias e atuar como colaboradores nos encontros.

O Projeto Sentido é vinculado ao ConVIDA e ao Centro de Assessoria e Pesquisa em Psicologia e Educação (Ceappe), órgão suplementar do Setor de Humanas da UFPR. Para fazer parte da equipe, o primeiro passo é vivenciar o projeto como participante. Na sequência, os interessados podem comparecer à próxima reunião do projeto para receber as orientações.

Experiências de quem coordena e de quem participa

Ana Gabriela Bellaver, que no segundo semestre de 2019 estava no quinto ano do curso de Psicologia da UFPR – no décimo e último período -, foi uma das facilitadoras da edição do Projeto Sentido realizada no Prédio Histórico nos dias 9 e 10 de outubro. Apresentar ferramentas, mediar discussões e oferecer contribuições teóricas foram algumas de suas funções. Na opinião da psicóloga, a experiência é importante pois possibilita o contato com a área da Psicologia do Trabalho. 

“Eu não via como possibilidade para a minha atuação antes. Muitos alunos focam na área de Psicologia da Saúde – psicologia clínica, hospitalar – ou, se pensam na área do trabalho, pensam em RH [Recursos Humanos], em empresas formais. Essa atuação de pensar projeto de vida e de carreira, é, na verdade, uma novidade que a gente tem mais pro fim do curso, porque a gente percebe que a Psicologia do Trabalho vai muito além da gestão de pessoas”, pondera.

Vivenciar o projeto como participante possibilitou aprendizados significativos, relata Ana Gabriela. “Quando fiz o meu processo, entrei muito em contato com coisas minhas e, vendo que eu era protagonista da minha história, das minhas escolhas, quis oferecer isso também para outras pessoas. Todo o processo que fiz – ter participado e usado as ferramentas, ver a validez que elas têm – foi o que me motivou a trabalhar no Projeto Sentido”. 

Flávia Tussulini, 25 anos, egressa do curso de Engenharia Florestal da UFPR, participou da edição de outubro. Perceber-se em um momento de transição e de busca de clareza sobre sua carreira foi o que a motivou a comparecer aos encontros. “As atividades ajudam a pensar não só o que queremos profissionalmente, mas, em primeiro lugar, quem nós somos. Achei a abordagem no início bastante explicativa, fez a gente entender do que o projeto se trata. Que não é só auxiliar a ter uma carreira, mas também ensinar que podemos ser mais de uma coisa”, conclui Flávia.

Disciplina transversal “Projeto de Vida e de Carreira”

Em 2020, o Projeto Sentido também será oferecido por meio de uma disciplina transversal na graduação. Com a oferta de até 100 vagas, a disciplina eletiva “Projeto de Vida e de Carreira” terá 60 horas e contemplará conteúdos e vivências do Projeto, somadas a outras abordagens sobre saúde emocional, cultura digital e temas relacionados a desenvolvimento pessoal e profissional. “Mais de 100 alunos se inscreveram, evidenciando a relevância destas ações na atualidade e o interesse da comunidade interna em espaços com esta proposta de desenvolvimento pessoal e profissional”, afirma Lis.

As aulas, que iniciam no dia 18 de março, serão realizadas às quartas-feiras, das 13h30 às 17h30, no Centro Politécnico, ministradas pela coordenadora do ConVIDA – com a participação de docentes e profissionais convidados. 

Mais informações sobre o Programa ConVIDA e suas atividades no site www.convida.ufpr.br ou pelo e-mail convida@ufpr.br.


UFPR nas Redes Sociais

UFPR no Facebook UFPR no Twitter UFPR no Flickr RSS UFPR UFPR no Youtube UFPR no Instagram
Universidade Federal do Paraná
Rua XV de Novembro, 1299 | CEP 80.060-000 | Centro | Curitiba | PR | Brasil | Fone: +55(41) 3360-5000
UFPR no Facebook UFPR no Twitter UFPR no Youtube
Setor de Universidade Federal do Paraná
Rua XV de Novembro, 1299
CEP 80.060-000 - Centro
Reitoria da UFPR - Curitiba - PR - Brasil
Fone: +55(41) 3360-5000

Imagem logomarca da UFPR

©2020 - Universidade Federal do Paraná

Desenvolvido em Software Livre e hospedado pela AGTIC - Agência de Tecnologia da Informação e Comunicação da UFPR