Universidade Federal do Paraná

Menu

+ UFPR

UFPR reforça importância de vacinação contra febre amarela

Superintendência de Comunicação Social     6 de fevereiro de 2019 - 16h37

A Universidade Federal do Paraná (UFPR) reforça a importância da vacinação contra a febre amarela diante do registro de casos. De acordo com o Governo do Estado do Paraná, um jovem de 21 anos que nunca havia sido vacinado é o primeiro caso de confirmação de febre amarela no Paraná. O registro foi em janeiro, no município de Antonina.

A vacina é indicada para pessoas entre nove meses e 60 anos não completos que nunca receberam a dose da vacina e não possuem nenhuma contraindicação (veja na tabela abaixo). Quem já tomou uma dose em outro momento não necessita de reforço, segundo recomendações da Organização Mundial de Saúde e Ministério da Saúde.

Fonte: Ministério da Saúde, Complexo Hospital de Clínicas da UFPR e Secretaria da Saúde de Curitiba

Fonte: Ministério da Saúde, Complexo Hospital de Clínicas da UFPR e Secretaria da Saúde de Curitiba

Para tomar a vacina, basta ir a uma unidade de saúde com identificação e carteirinha de vacinação. Em Curitiba, os locais e horários de atendimento podem ser acessados neste link – a maioria funciona das 7h às 19h. No litoral, as unidades básicas de saúde de Matinhos atendem de segunda a sexta, das 7h às 17h e em alguns pontos até as 19h – clique aqui e veja os endereços e contatos. Em Pontal do Paraná, o funcionamento das unidades de saúde é das 8h às 17h, de segunda a sexta – uma tenda também foi montada na Praça de Ipanema com vacinação de segunda a sexta, das 18h às 23h, e aos sábados, das 8h às 17h.

A região do litoral e Curitiba passaram a ser área com indicação de vacina desde julho do ano passado. De acordo com o último informe de monitoramento da febre amarela do Ministério da Saúde, em novembro do ano passado, Curitiba possuía 17,7% da população vacinada e várias cidades do litoral com menos de 50%.

Sintomas e transmissão

De acordo com o Ministério da Saúde, a febre amarela é uma doença infecciosa febril aguda causada por um vírus transmitido por mosquitos vetores, e possui dois ciclos de transmissão: silvestre (quando há transmissão em área rural ou de floresta) e urbano. O vírus é transmitido pela picada dos mosquitos transmissores infectados e não há transmissão direta de pessoa a pessoa.

Ainda segundo o Ministério da Saúde, os sintomas iniciais da febre amarela incluem o início súbito de febre, calafrios, dor de cabeça intensa, dores nas costas, dores no corpo em geral, náuseas e vômitos, fadiga e fraqueza. A maioria das pessoas melhora após estes sintomas iniciais. No entanto, cerca de 15% apresentam um breve período de horas a um dia sem sintomas e então desenvolvem uma forma mais grave da doença, alerta o Ministério da Saúde.