Universidade Federal do Paraná

Menu

+ UFPR

Bancada federal paranaense conhece detalhes da Vacina da UFPR contra a Covid-19

Superintendência de Comunicação Social     30 de abril de 2021 - 15h28

UFPR busca garantir recursos para a fase clínica de testes da vacina contra a Covid-19. Foto: Marcos Solivan/ Sucom UFPR.

Pesquisadores da Universidade Federal do Paraná apresentaram a vacina da UFPR contra a Covid-19 para parlamentares paranaenses da Câmara dos Deputados e do Senado Federal. A reunião foi realizada de forma remota. O objetivo foi buscar recursos para a fase clínica de testes, prevista para iniciar em seis meses. “A gente não pode parar a pesquisa. Na hora em que conseguirmos os êxitos esperados até o final do ano, precisamos estar com todo mundo comprometido. Para nós, uma das alianças mais estratégicas é com os representantes do povo paranaense no parlamento”, afirmou o reitor da UFPR, Ricardo Marcelo Fonseca.

Durante a reunião, os pesquisadores Emanuel Maltempi de Souza, Marcelo Müller dos Santos e Breno Castello Branco Beirão apresentaram aos parlamentares as informações sobre a vacina em desenvolvimento. O imunizante tem baixo custo de produção e apresentou resultados positivos nos três experimentos realizados com animais. “O soro do camundongo foi coletado depois de duas doses da vacina. A quantidade de anticorpos no soro animal foi muito grande. O soro, mesmo diluído 16 mil vezes, ainda testou positivo contra as proteínas virais. Em alguns animais nós precisamos diluir 500 mil vezes. Este valor, em um teste semelhante, é de 10 a 100 vezes maior do que o da AstraZeneca”, explicou o professor Emanuel, ressaltando as diferentes condições dos ensaios realizados com a Vacina da UFPR e com a da AstraZeneca.

A Vacina da UFPR tem característica multifuncional, o que quer dizer que pode ser reconfigurada para atender variantes do Sars-CoV-2 e adaptada para doenças como dengue, zika vírus, leishmaniose e chikungunya. Outra vantagem é que o imunizante é produzido com tecnologia 100% nacional, o que garante soberania tecnológica ao país, que hoje depende de ingrediente farmacêutico ativo (IFA) estrangeiro para produzir as vacinas contra a Covid-19.

“Podem ter certeza de que a universidade dos paranaenses, a Universidade Federal do Paraná, vai estar sempre a serviço da nossa comunidade. Seja nos tempos de tempestade, como agora, mas também nos tempos de calmaria”, finalizou o reitor.

Recursos

O desenvolvimento da Vacina da UFPR começou em meados de 2020, com financiamento de R$ 230 mil do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), em parceria com o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC). A UFPR investiu R$ 40 mil de recursos próprios. Recentemente, o governo do Paraná garantiu mais R$ 995 mil para equipamentos, custeio e bolsas de pesquisa. No entanto, estes valores são para a realização dos testes pré-clínicos. A universidade busca novos recursos para financiar a fase clínica.

Bancada paranaense disse que vai trabalhar para conseguir os recursos necessários para os próximos passos da Vacina da UFPR. Foto: Marcos Solivan/Sucom UFPR.

O líder da bancada paranaense na Câmara Federal, o deputado federal Toninho Wandscheer (PROS), disse que pretende conseguir o dinheiro necessário para a fase clínica com recursos da emenda impositiva (cerca de R$ 10 milhões), com contrapartidas do Governo do Paraná (cerca de R$ 10 milhões) e em recursos a serem negociados com o Governo Federal (cerca de R$ 30 milhões). “A bancada do Paraná vai conseguir viabilizar os recursos necessários para que a questão financeira seja resolvida. A bancada tem orgulho de dizer que está junto com a universidade. Acreditamos nos técnicos, nos cientistas e nos professores dessa grande universidade do Brasil”, disse.

Os parlamentares manifestaram-se de forma positiva aos dados apresentados pelos pesquisadores. “O apoio que puder ser dado é muito importante para a vacina em si e para a estruturação da UFPR. Isso pode trazer muitos benefícios para a universidade, para o Paraná e para o Brasil”, afirmou o senador Flavio Arns.  O deputado federal Zeca Dirceu defendeu o trabalho conjunto da bancada do Paraná para a liberação dos recursos o quanto antes. “Eu defendo que a gente reúna a bancada paranaense com o máximo de deputados e faça todas as gestões necessárias não apenas junto ao governo federal, mas junto ao governo do estado, à prefeitura de Curitiba, para que os recursos necessários sejam disponibilizados rapidamente”. O deputado federal Gustavo Fruet afirmou que “há fonte de recurso disponível para utilizar, mas seguramente é possível por já estar disponível na fonte orçamentária o recurso para este tipo de investimento. Isso além da ação da bancada paranaense no orçamento para o ano que vem”.

Já a deputada federal Luísa Canziani se comprometeu a buscar o orçamento necessário com articulação interministerial: “quem está trazendo as soluções para a pandemia? É justamente a ciência, por meio das vacinas, por meio do conhecimento científico que estamos buscando saídas e possíveis respostas para a pandemia e para outros desafios”. O deputado federal Rubens Bueno se disse orgulhoso que  “que uma universidade pública, da história da UFPR, esteja fazendo um trabalho como esse e tenha reconhecimento nacional e internacional”.

Capacidade de produção de insumos

Durante a reunião, os pesquisadores tiraram as dúvidas dos parlamentares. O deputado federal Rubens Bueno questionou sobre a capacidade de produção em larga escala dos insumos para a vacina, caso o imunizante seja aprovado nos testes clínicos.

IFA da Vacina da UFPR é nacional e de baixo custo. Foto: Marcos Solivan/Sucom UFPR.

O IFA da Vacina da UFPR é composto por duas partes: biopolímeros biodegradáveis e proteína Spike. O professor Emanuel explicou que a quantidade de biopolímero usada por dose é menor do que 100 microgramas. Isso quer dizer que com uma tonelada do produto é possível fazer 10 bilhões de doses. Uma das indústrias fornecedoras opera atualmente com a produção de 3 mil toneladas por ano, com possibilidade de aumento.  “A outra parte do IFA é a produção de proteína. O tipo de célula que nós estamos utilizando para produzir a proteína também é escalonável. Nós podemos trabalhar com reatores na casa de milhares de litros e aqui no Brasil já existem plantas que operam nesta escala”, esclareceu o professor Marcelo.

Bancada

Participaram da reunião o senador Flávio Arns (Podemos), o presidente da bancada paranaense na Câmara Federal, deputado federal Toninho Wandscheer (PROS) e os deputados federais Gleisi Hoffmann (PT), Gustavo Fruet (PDT), Luísa Canziani (PTB), Rubens Bueno (Cidadania) e Zeca Dirceu (PT). Também estiveram presentes os assessores dos deputados federais Filipe Barros (PSL) e Sergio Souza (MDB) e o representante do Governo do Paraná, Jackson Matte.


UFPR nas Redes Sociais

UFPR no Facebook UFPR no Twitter UFPR no Flickr RSS UFPR UFPR no Youtube UFPR no Instagram
Universidade Federal do Paraná
Rua XV de Novembro, 1299 | CEP 80.060-000 | Centro | Curitiba | PR | Brasil | Fone: +55(41) 3360-5000
UFPR no Facebook UFPR no Twitter UFPR no Youtube
Setor de Universidade Federal do Paraná
Rua XV de Novembro, 1299
CEP 80.060-000 - Centro
Reitoria da UFPR - Curitiba - PR - Brasil
Fone: +55(41) 3360-5000

Imagem logomarca da UFPR

©2021 - Universidade Federal do Paraná

Desenvolvido em Software Livre e hospedado pela AGTIC - Agência de Tecnologia da Informação e Comunicação da UFPR