Universidade Federal do Paraná

Menu

Ensino e Educação

Alunos de Medicina de Toledo participam de palestra sobre desenvolvimento do fármaco canabidiol

Bruna Bertoldi Gonçalves     20 de novembro de 2019 - 16h33

Cerca de 100 alunos e professores do curso de Medicina da UFPR em Toledo assistiram a uma explanação sobre o desenvolvimento do fármaco canabidiol. A palestra ministrada pelo gerente de inovação e pesquisa clínica da indústria farmacêutica Prati-Donaduzzi, Liberato Brum Junior, ocorreu na noite do dia 12 de novembro no anfiteatro do campus.

O canabidiol é encontrado no caule da folha da Cannabis sativa, a planta da maconha. Os estudos sobre o composto ganharam destaque por meio de pesquisas que comprovaram seus benefícios para o tratamento de doenças neurológicas como a epilepsia e o Mal de Parkinson. “Foi apresentado um histórico aos alunos. Desde a década de 80, se falava do canabidiol, mas os estudos mais aprofundados começaram em 2011, se intensificando a partir de 2014, quando a Prati entrou em um projeto junto com pesquisadores da USP em Ribeirão Preto”, contextualizou a coordenadora do curso de Medicina de Toledo, professora Naura Tonin Angonese.

A palestra sobre as etapas para o desenvolvimento do fármaco canabidiol foi realizada no campus da UFPR em Toledo no dia 12 de novembro. Foto: Divulgação

“Além do tema ser extremamente atual – o canabidiol trará benefícios expressivos para a população quando for disponibilizado -, os alunos tiveram a oportunidade de conhecer uma pesquisa aplicada de ponta, com o detalhamento de todas as suas fases e com a participação ativa de uma equipe de pesquisadores da região oeste do Paraná”, afirmou a diretora do campus, professora Cristina de Oliveira Rodrigues.

O medicamento está em fase de estudo clínico e os resultados preliminares apresentados na palestra demonstram respostas positivas para pacientes com epilepsia refratária – caracterizada pela persistência da frequência das crises após o uso de pelo menos duas medicações. Dados da Associação Brasileira de Epilepsia (Abe) sinalizam que esse tipo de epilepsia está presente em 30% dos casos.

Liberato Brum Junior é formado em Farmácia Industrial pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), possui mestrado em Ciências Farmacêuticas pela mesma instituição e é doutor na área pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).