Universidade Federal do Paraná

Menu

Ciência e Tecnologia

Pesquisadores da UFPR participam de projeto na Antártica

Superintendência de Comunicação Social     14 de fevereiro de 2013 - 18h11

Lab Air

O Laboratório de Análise e Qualidade do Ar (Lab Air) da Universidade Federal do Paraná está envolvido em uma pesquisa de extrema importância no Brasil, o Projeto Criosfera 1.

O projeto objetiva avaliar as concentrações de gases e partículas na Antártica, delineando as associações com efeitos climáticos. O Módulo Criosfera 1 foi instalado na Antártica em dezembro de 2011, em um local totalmente isolado e inabitável, onde a temperatura chega a até 65 graus negativos.

Segundo o professor Ricardo Godoi, coordenador do Lab Air, “a plataforma é basicamente um container abastado de brinquedos tecnológicos, um bombom recheado de pura computação eletrônica”. Estes “brinquedos tecnológicos” possibilitam o monitoramento e análise de dados extremamente relevantes.

Godoi faz parte do grupo de pesquisa da Criosfera e coopera na análise de filtros que ficaram na plataforma por o período de um ano. Por meio destas amostras é possível caracterizar a poluição atmosférica.

O professor é responsável pela criação e desenvolvimento do amostrador de material particulado, que é um equipamento responsável pela manutenção de coleta de Aerosol (poluentes ou poeira no ar). “Estamos fazendo o monitoramento on-line de temperatura e velocidade do vento, a plataforma é totalmente automatizada”, conta o pesquisador.

Além do professor, as alunas Renata Charello e Ellen Almeida, do curso de Engenharia Ambiental da UFPR, também estão envolvidas na pesquisa no Lab Air. Renata é orientanda do professor Ricardo Godoi e irá para a Antártica no início de março, para terminar sua pesquisa de conclusão de curso em Engenharia Ambiental.

Junto com o professor, Renata cuidou de um equipamento, e criou alguns métodos para fazer análises. Ela diz ser muito interessante ter a oportunidade de participar de um projeto tão importante e desafiador, além de poder ir para um ambiente militar e ser, se não uma das poucas ou a única mulher no campo de pesquisa entre a Península Antártica e América do Sul. “É um desafio, porque minha amostragem de pesquisa será feita com outro equipamento e não com o equipamento que auxiliei na monitoração durante minha permanência no laboratório da UFPR”, relata a aluna.

O projeto da plataforma na Antártica é desafiante para os que estão envolvidos no processo de pesquisa. “Sem dúvida o processo de transmissão atmosférica antropogênica na Antártica é um desafio, especialmente em uma região tão inóspita quanto aquela”, conta Godoi.

A UFPR dispõe esforços financeiros neste projeto, que é viabilizado pelo Fundo de Desenvolvimento Acadêmico (FDA). “A universidade está participando e contribuindo de alguma maneira com uma experiência muito desafiadora, como a de se ter uma estação totalmente automatizada. É um desafio tecnológico”, assegura Godoi.

Por Flaécia Gomes (com orientação da ACS)


Outras notícias

UFPR nas Redes Sociais

UFPR no Facebook UFPR no Twitter UFPR no Flickr RSS UFPR UFPR no Youtube UFPR no Instagram
Universidade Federal do Paraná
Rua XV de Novembro, 1299 | CEP 80.060-000 | Centro | Curitiba | PR | Brasil | Fone: +55(41) 3360-5000
UFPR no Facebook UFPR no Twitter UFPR no Youtube
Setor de Universidade Federal do Paraná
Rua XV de Novembro, 1299
CEP 80.060-000 - Centro
Reitoria da UFPR - Curitiba - PR - Brasil
Fone: +55(41) 3360-5000

Imagem logomarca da UFPR

©2018 - Universidade Federal do Paraná

Desenvolvido em Software Livre e hospedado pelo Centro de Computação Eletrônica da UFPR