Universidade Federal do Paraná

Menu

Ciência e Tecnologia

Grupo de Pesquisa do Departamento de Informática representará o Brasil em competição na Alemanha

Superintendência de Comunicação Social     18 de maio de 2018 - 18h09

Alunos do Departamento de Informática da UFPR foram selecionados para participar da Competição de Cluster de Estudantes do ISC-HPCAC (SCC), que acontecerá entre 25 e 27 de junho em Frankfurt, na Alemanha. O objetivo da competição é construir máquinas de alta performance com um limite de energia determinado.

A competição seleciona alunos do mundo todo. Até 12 conjuntos podem participar. Neste ano, oito foram selecionados. Compõem a equipe brasileira os estudantes Egon Nathan Bittencourt Araujo, Gabriel Cândido, Luiz Felipe Abrão Reis, Bruno Tissei, Giovanne Marcelo, Jedian Brambilla, orientados pelos professores Daniel Weingaertner e Marco A. Zanata Alves.

É a primeira vez que um grupo da UFPR participa de uma competição desse nível. Os esforços para esse resultado vêm acontecendo desde o ano passado, quando o mesmo grupo participou de competições parecidas no Brasil. “Usamos outras maratonas como um treino, para ver como seria, e concordamos que se conseguíssemos um bom resultado o colocaríamos como base para inscrição e proposta nesta competição na Alemanha”, afirma Gabriel Cândido, integrante do grupo selecionado.

O grupo viaja no fim de junho participar de uma competição de máquinas de alta performance. Foto: Divulgação

A competição

Ao longo de três dias, a Conferência recebe mais de 3 mil participantes. As equipes do SCC participam das sessões de conferência ISC High Performance e estarão rodeadas por mais de 160 expositores de todo o mundo.

A participação em uma competição mundial — além do currículo — traz desenvolvimento de habilidades críticas, relacionamentos profissionais e espírito competitivo. Mas o desenvolvimento profissional de cada um dos participantes não é a única vantagem presente na atuação do grupo nessa disputa.

O ISC High Performance traz vantagens para o Centro de Computação Científica e Software Livre (C3SL) , para a Universidade Federal do Paraná, para o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações — que financiará em parte a ida dos participantes para a Alemanha e o principal, resultados de impacto para a sociedade.

Ganhos

A participação dos meninos na competição traz para o grupo de pesquisa a possibilidade de seguir desenvolvendo softwares de nuvem — que não obrigam o usuário a baixá-los em seus computadores, já que permitem seu uso online.

Com a seleção para a competição surgiu a necessidade de ir em busca de um equipamento mais robusto — o cluster, que basicamente é um conjunto de computadores fortemente ligados que trabalham em conjunto. Esse equipamento permite que novos projetos e softwares sejam desenvolvidos e que a aplicação e o desenvolvimento dos mesmos seja cada vez mais rápida e fácil.

Assim, o C3SL, tem a possibilidade de criar novas pesquisas no campo de processamento de alto desempenho, fechar novas parcerias e ainda, o mais importante, desenvolver mais e melhor os projetos já existentes dentro do grupo de pesquisa.

Projeção

Para a UFPR, a participação na competição traz projeção internacional. Além disso, em função disso a universidade passou a ofertas disciplinas  que não existiam antes do aceite nessa competição, pelo Departamento de Informática, como- Tópicos em Análise de Desempenho

A disciplina, ofertada na graduação e na pós-graduação, aborda aspectos teóricos e práticos de configuração e otimização de infraestrutura computacional de grande porte. Os membros da equipe aceita além de outros 5 alunos matriculados na disciplina trabalham na instalação, configuração e teste de diversos programas utilizados para análise de desempenho de computadores de grande porte.

“Nessa disciplina os alunos aprendem a ajustar a máquina, configurar programas, equipamento, e atender da melhor forma problemas de computação científica que possam surgir”, afirma Daniel Weingaertner, orientador do grupo na competição•

Ministério

A equipe viaja custeada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) aceitou financiar a ida e o desenvolvimento dos participantes por diversos motivos. O principal deles é o benefício possível a projetos — em que a parceria entre o MCTIC e o C3SL já acontece — como o Cidades Digitais.

Para manter o projetos que levam tecnologia, inclusão e democratização da informação à cidades pequenas do Brasil, é necessário manter o parque computacional que dá suporte a esse projeto — o do C3SL — em desenvolvimento.

O aceite na competição, dessa forma, leva os alunos participantes a gerarem pesquisas e desenvolvimento para o parque, produzindo relatórios que levam os projetos  adiante.

“É a universidade, por meio de um grupo de pesquisa, o C3SL, devolvendo investimentos públicos para a sociedade”, afirma Marcos Sunye,  diretor do Setor de Ciências Exatas da UFPR.

Por Melora Moura


Outras notícias

UFPR nas Redes Sociais

UFPR no Facebook UFPR no Twitter UFPR no Flickr RSS UFPR UFPR no Youtube UFPR no Instagram
Universidade Federal do Paraná
Rua XV de Novembro, 1299 | CEP 80.060-000 | Centro | Curitiba | PR | Brasil | Fone: +55(41) 3360-5000
UFPR no Facebook UFPR no Twitter UFPR no Youtube
Setor de Universidade Federal do Paraná
Rua XV de Novembro, 1299
CEP 80.060-000 - Centro
Reitoria da UFPR - Curitiba - PR - Brasil
Fone: +55(41) 3360-5000

Imagem logomarca da UFPR

©2018 - Universidade Federal do Paraná

Desenvolvido em Software Livre e hospedado pelo Centro de Computação Eletrônica da UFPR