Universidade Federal do Paraná

Menu

Ensino e Educação

Esperanto consolida Celin como espaço de manifestações linguísticas

Superintendência de Comunicação Social     18 de maio de 2017 - 18h18

O curso de Esperanto está consolidando o Centro de Línguas da UFPR (Celin) como espaço único para as mais variadas manifestações linguísticas. Idioma internacional, o curso oferecido pela UFPR (desde 2005) é aberto à comunidade, prima pela qualidade e é um dos dois únicos de Curitiba.

São 18 vagas por semestre. Os alunos têm aulas todo sábado à tarde. O curso é gratuito e pode ser concluído, em média, em dois anos. O aluno paga apenas uma taxa de inscrição, no valor de R$ 60. As inscrições para as turmas do próximo semestre serão entre 1º e 10 de agosto e podem ser feitas mediante preenchimento de cadastro disponível no portal do Celin.

Desde os 17 anos

O corpo docente do curso é formado pelos professores Ivan Colling (do curso de Engenharia Elétrica da UFPR), Rita Mara de Moraes e Ligia Maffessoni Penia – todos voluntários. Colling leciona no curso desde 2009. Rita e Ligia entraram neste ano.

A relação de Colling com o idioma é antiga. “É uma língua que eu falo desde meus 17 anos, na adolescência. Então, o Esperanto passou a fazer parte da minha rotina. Em casa, falo Esperanto com minha esposa”, explica o professor, que tem formação em Engenharia Elétrica e em Letras-Polonês, fez pós-graduação em Estudos Interlinguísticos na Polônia (cuja língua de trabalho é o Esperanto) e integra a diretoria da Liga Internacional dos Professores Esperantistas.

O que é o Esperanto

A língua foi  iniciada em 1887 pelo médico e estudioso de línguas polonês Ludwig Lazar Zamenhof (1859-1917) para ser um idioma internacional. Sua gramática é simples e utiliza as raízes das línguas europeias mais faladas, além de raízes latinas e gregas. O curso do Celin trabalha não apenas o ensino da língua, mas também a história do movimento e o desenvolvimento da cultura esperantista.

O Brasil é um dos 120 países que falam o Esperanto e um dos de maior destaque. No total, calcula-se que dois milhões de pessoas falem o idioma no mundo. “O Esperanto é importante porque, por ser uma idioma internacional, é ponte entre as culturas. Ele tem toda uma cultura própria, com filmes, livros, etc”, explica Colling, que atribui à dominação política e econômica dos EUA o fato de o idioma não ter se tornado efetivamente universal.

“Tudo tem a ver com interesses políticos, econômicos e militares. A língua está associada à geopolítica. Um país dominante tem privilégios, inclusive linguísticos”, avalia o professor. Ele lembra que, quando o Esperanto surgiu, no final do século XIX, o idioma dominante era o francês. “A cada época da humanidade , os idiomas dominantes variam. Mas isso pode mudar. O Mandarim, por exemplo, talvez venha a se tornar uma língua mais importante. Mas o Esperanto sempre se manteve como alternativa e sempre teve a perspectiva de ser usado como língua internacional”.

 

 

 


Outras notícias

UFPR nas Redes Sociais

UFPR no Facebook UFPR no Twitter UFPR no Flickr RSS UFPR UFPR no Youtube UFPR no Instagram
Universidade Federal do Paraná
Rua XV de Novembro, 1299 | CEP 80.060-000 | Centro | Curitiba | PR | Brasil | Fone: +55(41) 3360-5000
UFPR no Facebook UFPR no Twitter UFPR no Youtube
Setor de Universidade Federal do Paraná
Rua XV de Novembro, 1299
CEP 80.060-000 - Centro
Reitoria da UFPR - Curitiba - PR - Brasil
Fone: +55(41) 3360-5000

Imagem logomarca da UFPR

©2017 - Universidade Federal do Paraná

Desenvolvido em Software Livre e hospedado pelo Centro de Computação Eletrônica da UFPR